Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

29
Ago18

Zero Desperdício e Ecologia vs Custos

(Imagem retirada daqui)

 

      Desde que casamos que cada vez que vamos às compras tenho tentado optar por escolhas mais ecológicas e com menos desperdício. Alterei alguns hábitos com a Maria Reduz e tenho tentado cada vez mais optar por escolhas mais ecológicas, mas nem sempre tem sido fácil. Tenho optado por comprar a fruta e os legumes numa senhora que vende de forma ambulante, opto sempre por usar os sacos reutilizáveis e até tenho optado por comprar tupperwares de vidro aos de plástico, mas a verdade é que nem todas as escolhas são assim tão fáceis. Não ganho nenhuma espécie de fortuna e tenho pouco tempo para optar por soluções feitas em casa. Ao nível da alimentação a verdade é que a maioria dos legumes são do campo dos meus pais e as conservas feitas pela minha mãe que acaba por distribuir pelos filhos, coisas saudáveis e mais sustentáveis. Mas e tudo o resto?

        Ando há imenso tempo à procura de uma solução melhor para os sacos do lixo. Não fazemos a compostagem, até porque não possuo plantas a não ser as flores da jarra e acabo por usar sacos pouco ecológicos. Para o plástico e para o papel tenho optado por utilizar ainda sacos que estavam guardados da altura de arrumar o enxoval, por exemplo os sacos de papel das lojas são os sacos para a reciclagem do papel e os de plástico servem para o plástico, na altura achei que seria um desperdício deitá-los fora e tenho-os reutilizado. No entanto, o lixo orgânico, que todos os dias vai para o contentor, não lhe tenho encontrado uma solução sustentável ecologicamente e ao mesmo tempo financeiramente, ou seja, os sacos que encontro que dizem que são biodegradáveis têm um preço bastante superior aos sacos ecológicos (supostamente feitos de material reciclado). No outro dia ainda peguei num conjunto de 20 sacos de 30L  que ficavam a 0,06€ por saco, mas Ele viu e arregalou-me logo os olhos, pois por 40 sacos de 30L o preço por saco ficava a menos dois cêntimos. Quem me lê deve estar a achar estas contas uma parvoíce, são apenas 0,02€ de diferença por saco, mas agora vamos abranger isso a todo um carrinho de compras, no final a diferença é enorme! Basta ver o preço dos rolos de papel higiénico da Renova que são embalados em papel (mais ecológico e sustentável), mas que tem um valor bastante superior aos que costumo comprar, 10,21€ por 20 rolos. Eu sei que é necessário ajudar o meio ambiente e tenho dado o meu melhor, mas existem situações que simplesmente não são comportáveis. 

        Outra coisa que adorava também era conseguir fazer produtos em casa, nomeadamente o creme de corpo, alguns produtos de limpeza que exigem mais tempo e outros afins, mas a verdade é que não só não tenho tempo, como muitas vezes os produtos que essas receitas pedem são um tanto ou quanto mais caras. Durante algum tempo utilizei como desodorizante apenas o Bicarbonato de Sódio, mas recentemente senti a falta do odor suave que um desodorizante deixa e voltei a cair no erro de utilizar o desodorizante normal. Farta da minha comodidade, decidi voltar a procurar receitas com o Bicarbonato de Sódio e mais alguns suplementos para obter o resultado desejado. Ora, produtos ligeiramente caros que me fazem ainda não ter avançado com a sua compra. E os desodorizantes naturais? Lamento, mas são caros e não posso estar a dar 5€ por um desodorizante quando já gasto uma fortuna em produtos para a pele do rosto e cabelo (produtos que se dizem feitos com produtos naturais)

       As garrafas de água reutilizáveis têm sido outro desafio, mas espero em breve conseguir adquirir uma, nem que seja de prenda de natal. Andei a investigar garrafas de água amigas do ambiente e na medida que me é útil, 750ml, mas não tem sido fácil. Os preços são avultados e ainda não consegui ganhar coragem para despender esse dinheiro nesse tipo de artigo. É verdade que acaba por ser um investimento, que deixarei de gastar dinheiro em garrafas de água, mas imaginem que dou 0,60€ (o que nunca acontece, mas imaginem) e que apenas as mudo de duas em duas semanas (é a média com que mudo a garrafa), já viram quantas garrafas de água de plástico dá o valor de 20€ de uma garrafa realmente boa? São contas necessárias a fazer-se na hora de optar por produtos sustentáveis e que me têm deixado com vários dilemas.

        Por muito que queira continuar o meu percurso pelo Zero Desperdício e por ser cada vez mais ecológica, a verdade é que há certos produtos cujo preço me fazem afastar das opções mais responsáveis ecologicamente. Isso ou simplesmente não existe tempo e disponibilidade para fazer todo o tipo de produtos em casa e mais alguns. Quem trabalha mais de 50h semanais, se já dificilmente encontra tempo para fazer doces ou conseguir encaixar os seus hobbies nos horários, como vai conseguir integrar a produção de vários tipos de produto? Sinto que quero fazer mais pelo planeta, sinto que quero fazer opções mais ecológicas e sustentáveis, mas também sinto que o tempo e o dinheiro me afastam de algumas delas. Serei só eu a sentir este tipo de dificuldades?

 

P.S.: Aceito sugestões de alternativas baratas e sustentáveis aos artigos mencionados e mais!

09
Ago18

Maria Reduz

       Desde algum tempo para cá que tenho partilhado com vocês a minha viagem para diminuir o meu lixo. Envolvi-me pelo mundo do desperdício zero desde que descobri o minimalismo e percebi que de uma forma ou de outra ambos estão interligados. Tenho tido cada vez maior consciência do meu comportamento em casa e tenho assinalado pequenas coisas que quero começar a mudar, algumas delas já o tinha feito com vocês outras tenho vindo a aprender com outras pessoas e até com a experiência de ter a minha própria casa. Existem coisas que ainda sei que tenho de trabalhar, outras têm-se enraizado em mim com a maior das naturalidades. 

     Ao longo desta aventura tenho tido uma conselheira, alguém que desde que foi mãe que se deixou envolver ainda mais pelo conceito de desperdício zero e de minimalismo, segundo ela por uma única razão "deixar um melhor mundo para a minha filha". As palavras sensibilizaram-me e conhecendo-a como conheço (amiga dos tempos da faculdade que ainda hoje tenho o maior dos carinhos) sabia que a vida dela se ia transformar. E assim o foi. A Maria está envolvida pelo desperdício zero e sempre me apoiou, tirou-me dúvidas e guiou-me neste mundo que ainda tenho tanto para aprender.

        Da vontade de mudar o mundo à sua volta surgiu o Maria Reduz, uma partilha de ideias de onde podemos reduzir o lixo que produzimos, mas também um local em que podemos adquirir alguns dos produtos que nos farão diminuir a quantidade de lixo diário. Já experimentei alguns dos seus produtos e estou plenamente satisfeita, até porque não só tenho diminuído a minha pegada ecológica como tem sido bastante prático. Na hora do lanche deixei de levar o guardanapo de papel para o pão, admito que estava um bocadinho receosa por usar o "wrap" por uma única razão, que o pão ao longo do dia ficasse seco, mas tal coisa não aconteceu. É super prático e mantém o pão muito fresquinho. Este "wrap" fez com que diminuísse o consumo de guardanapos de papel (mesmo reciclados, o que queria era diminuir o consumo).

         Para a fruta e os legumes comecei a utilizar os sacos reutilizáveis e deixei de lado os sacos de plástico. Costumo comprar a fruta e os legumes, aqueles que têm mesmo de ser comprados e que não há no campo de casa, o que me tem facilitado a utilização destes sacos e deixei de consumir sacos de plástico que são de uma única utilização. Os sacos plásticos têm sido uma das minhas maiores diminuições e preocupações e quando os tenho utilizo como sacos do lixo. 

         Os discos de algodão, ainda não abdiquei totalmente deles porque ainda tenho alguns em stock, mas já experimentei os de pano e funcionam igualmente bem. Menos produção de lixo, mais económico a longo prazo e exactamente a mesma função. A Maria faz a produção dos próprios produtos e vende-os a preços bastante acessíveis. Ando completamente satisfeita com os produtos e ainda mais contente com o facto de andar a contribuir48 para a diminuição do meu lixo. A caminhada para o desperdício zero ainda é longo, mas aos poucos tenho mudado os meus hábitos e cada passinho é uma enorme conquista. Procurem os produtos da Maria Reduz aqui e comecem a mudar de hábitos.

 

 

08
Jun18

Mais que Reciclar, É Preciso Reduzir!

(Imagem retirada daqui)

 

      Durante muito tempo achei que fazia a minha parte no que dizia respeito ao meio ambiente. Sempre fiz a reciclagem, sempre fiz a compostagem e até sempre tentei reutilizar o máximo possível de coisas até as ter de enviar para o lixo. Sempre considerei que a reciclagem, aquilo que durante os anos escolares nos tentaram incutir, era o caminho para um mundo mais saudável, com menos lixo e com menos desperdício. No entanto, nas últimas notícias parece que me enganei redondamente. O alarme em volta do plástico tem sido tão grande que decidi pesquisar, afinal se eu enviava todo o plástico para a reciclagem como era possível haver tanto plástico espalhado pelos oceanos e pelas praias? Ingenuamente, sempre considerei que a reciclagem seria a solução para todos os problemas, até ter aprendido que afinal grande parte dos plásticos não são recicláveis.

       A última premissa abanou totalmente o ser ecológico que tenho dentro de mim. Admito que fiquei verdadeiramente chocada e assustada. Mas então que raio acontece ao plástico que não é reciclável? Mas afinal que ando eu a usar que não é reciclável? Mais do que alguma vez poderia imaginar. Tudo aquilo que sempre me ensinaram sobre ecologia, hoje parece-me insuficiente, parece-me calunioso e extremamente incompleto. Desde pequena que me diziam que reciclar era ajudar o ambiente, que reciclar era o mais importante, mas nunca me disseram que grande parte do lixo que envio para a reciclagem não é realmente reciclável e que quando não o é ou vai parar a aterros ou ao oceano. Fiquei parva com as inúmeras coisas que uso no dia-a-dia e que envio para a reciclagem e que de nada serve. Cada vez mais tenho a consciência que é necessário reciclar, mas mais do que isso é necessário reduzir.

      Não sei se serei a única ignorante sobre estas coisas, mas desde que me dediquei um bocadinho ao Zero Desperdício que tenho vindo a pesquisar mais e mais sobre o assunto. Não me quero tornar numa extremista, mas quero realmente ajudar o ambiente e diminuir a minha pegada ecológica, sinto-me responsável pelo lixo que faço e cada vez mais tenho noção disso. Quero ajudar o ambiente, mantendo uma vida confortável, mas consciente e com informação, o que acho que acaba por faltar a muita gente. Se só agora que me dediquei a pesquisas sobre o assunto aprendi inúmeras coisas, imagino as pessoas que passaram por ignorantes (como eu) mesmo querendo ajudar o ambiente. Este último fim-de-semana foi também um grande abrir de olhos para mim, começamos a arrumar o enxoval e a lavar as louças que adquirimos ao longo dos últimos anos (altura em que ainda não me tinha consciencializado para este tipo de acções e situações) e fiquei assustada com a quantidade de papel e plástico que tenho para reciclar que envolvia todos os materiais. Tenho no meio da minha cozinha uma caixa enorme que transportou as nossas cadeiras cheia de papel e outro saco gigante com os plásticos de todas as embalagens. É realmente assustadora a quantidade de lixo que produzimos de forma inconsciente.

      Nesta minha saga de pesquisas sobre como diminuir o plástico e ter consciência sobre o plástico que não é reciclável aprendi que ainda tenho um longo caminho a percorrer. Já recuso os sacos, já reutilizo há anos as garrafas de água, utilizo fósforos e raramente utilizo palhinhas. Contudo, nestas mudanças de casa e nestas novas aprendizagem aprendi que preciso de encontrar alternativas aos discos de algodão, às cotonetes de plástico, às palhinhas e às esponjas da louça. Claro que não vou mudar da noite para o dia, é óbvio que não posso gastar enormes quantias de dinheiro de uma só vez e é claro que não vou desperdiçar o que ainda tenho em stock, mas a verdade é que nunca mais quero comprar estes produtos de forma descartável. São produtos que não são recicláveis e que facilmente vão parar a aterros ou aos oceanos e se posso evitar contribuir para essa quantidade de lixo absurdo, prefiro fazê-lo. É verdade que só até à pouco tempo descobri o perigo destes materiais, mas quero mudar assim que possível, sinto essa necessidade. A minha saga pelo Zero Desperdício e pela diminuição do plástico está apenas no início, sinto que esta irá ser uma longa caminhada. Mais do que reciclar, precisamos de reduzir.

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)
Revista Inominável

Nas páginas de...

2018 Reading Challenge

2018 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal