Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

09
Out18

Laços que se quebram

(Imagem retirada daqui)

 

       Desde o dia do meu casamento que me sinto uma das pessoas mais felizardas do mundo no que toca a amigos. Eu sabia que estava rodeada de pessoas que me queriam bem. Eu tinha a certeza que tinha na minha vida pessoas que me faziam feliz, mas naquele dia tudo pareceu cair em mim de uma forma diferente, com uma consistência mais forte, com uma veracidade ainda mais persistente. No dia do casamento, quando estava sentada à mesa ao lado d'Ele as palavras fugiram-me da boca ao ver uma sala cheia de gente todos os que aqui estão, estão por nossa causa, estão porque nos querem bem. Nunca antes tinha tido esta sensação tão forte de união e carinho, talvez porque nunca tivesse juntado todos os amigos e familiares num só espaço, talvez por os amigos andarem espalhados por aí ou simplesmente porque os horários contraditórios, mas naquele dia não. Naquele dia, no nosso dia, estavam todos lá e caiu-me a ficha de como tenho tanta gente que me quer bem. Amigos de todos os contextos, de todas as idades, mas amigos daqueles que me ajudam a levantar quando caio. Amigos daqueles que estão sempre disponíveis, nem que seja para carregar uma caixa ou comprar-me um bilhete. Amigos que fizeram quilómetros e quilómetros de distãncia para partilharem a minha felicidade. Amigos que deixaram tanta coisa para poderem estar presentes no nosso dia. Amigos daqueles que tenho a certeza que ficarão para a vida. Ou pelo menos quase todos.

       Se naquele dia tive consciência das pessoas que estão na minha vida, hoje reflecti sobre os que já ficaram pelo caminho. Amigos que pensava que estariam ao meu lado para a vida toda. Amigos que imaginava até sermos velhinhos ou até amigos que deixaram de fazer sacrifícios para estar ao meu lado. Hoje tenho consciência de que deixei muitos deles pelo caminho, laços que um dia considerei fortes acabaram por se quebrar, fosse pela tempestade ou por um simples raio. Ou até mesmo simplesmente pela vida. Consigo contá-los pelos dedos das mãos, aqueles que imaginei que fossem para sempre, mas que acabaram por ficar pelo caminho. Lembro-me de todos eles, alguns com mais regularidade do que outros, mas dificilmente me sairão da memória. Uns deixaram-me questões para as quais nunca mais obterei respostas, outros partiram porque a vida assim o ditou, no entanto se aprendi algo naquele dia foi a agradecer quem tenho na minha vida.

      O dia do nosso casamento foi uma das maiores provas de amizade que já tive. Os sorrisos nas suas faces, a alegria partilhada com a nossa felicidade e tudo em nome da amizade. Tenho pena daqueles que um dia pensei que partilhariam comigo aquele momento, fiquei triste por aqueles que um dia tinha imaginado estarem presentes e que não estiveram,mas aprendi que o mais importante é valorizar quem está ao nosso lado e os outros? Bem, os outros que continuem o seu caminho, que eu? Eu continuarei o meu.

04
Out18

O que é para ti Qualidade de vida?

(Imagem retirada daqui)

 

      Desde que me deixei envolver no minimalismo que tenho cada vez mais pensado no que representa para mim o termo Qualidade de Vida. Acho que é um termo demasiado subjectivo e que cada um tem uma interpretação diferente deste conceito. Se para uns qualidade de vida será ter muito dinheiro, muito tempo ou até muita saúde, para mim é um conceito um bocadinho diferente e que tem evoluído comigo ao longo do tempo. No início da casa dos 20 se calhar considerava a qualidade de vida sair com os amigos, dormir imenso e até conseguir divertir-me, neste momento, a alguns meses dos 28, percebo que o meu conceito de qualidade de vida mudou drasticamente. Pareço sentir-me uma espécie de alma envelhecida no corpo de uma mulher de 27 anos. À medida que cresço aprendo que as minhas prioridades vão mudando e que a minha felicidade está cada vez mais relacionada com as minhas conquistas e com o meu dia-a-dia e não só com a realização de grandes sonhos. 

      Para mim, o conceito de qualidade de vida, está cada vez mais relacionado com o tempo que tenho para mim e para os meus do que com outra coisa qualquer. Para mim qualidade de vida é ter a capacidade de sentar-me no sofá, ao lado d'Ele, pelo menos meia hora por dia (o que, admitamos, não tem acontecido muito nos últimos tempos). Qualidade de vida está em conseguir passar a tarde de domingo sem ter de sair de casa seja para o que for ou até em conseguir ver um episódio da minha série preferida mais que uma vez por semana (algo que também não tem acontecido com muita frequência). Qualidade de vida é sentar-me à mesa com a família e não me preocupar com horários. É chegar a ir jantar fora, pelo menos uma vez por mês, só porque nos apetece. É até conseguir fazer pelo menos uma vez por ano uma viagem ao estrangeiro. Para mim, isto é a qualidade de vida, aliada à saúde. A sentir-me bem com o meu corpo, a conseguir respirar em condições (maldita constipação que me atacou nos últimos dias) e até a conseguir ter uma boa noite de descanso. Qualidade de vida é não estar preocupada a toda a hora com dinheiro, com os problemas e com o trabalho, é conseguir ter a capacidade de desligar quando necessário e ligar quando obrigatório. E não há nada melhor do que uma bela esplanada, com um lindo sol e uma excelente companhia para conseguir aproveitar o conceito de verdadeira qualidade de vida. Para mim ser rica já não é qualidade de vida, ter milhentas peças de roupa (como um dia desejei) já não é qualidade de vida, ter uma casa gigantesca já nem me passa pela cabeça e muito menos andar de festa em festa todas as semanas.

      Qualidade de vida é sim aproveitar os momentos com quem mais gosto, festejar todas as vitórias alcançadas com um bom prato de lasanha e um bom vinho e até aproveitar o domingo à tarde para ver aquele filme que estava em lista de espera há imenso tempo. Para mim o mais simples da vida, o tempo que acaba por ser um bem precioso, é sem dúvida o meu conceito de qualidade de vida, mas admito que nos últimos tempos a minha qualidade de vida não tem sido a melhor, mas vou fazer de tudo para a mudar.

      E para ti o que é qualidade de vida?

  

25
Set18

E tu quem queres ser?

(Imagem retirada daqui)

 

       Quando era pequena imaginava-me uma mulher crescida, cheia de confiança e que transmitia a sensação de bem estar. A imagem de mulher adulta para mim era uma mulher sorridente, com uma carreira e, infantilmente, em cima de uns saltos altos, talvez um bocadinho a imagem de mulher executiva. Lembro-me bem de ser criança e olhar para algumas mulheres que transmitiam poder e dizer para mim própria "um dia quero ser assim", queria ter a sensação de que controlava tudo à minha volta e que toda eu era uma espécie de rocha poderosa. Pois bem, cresci, nem sempre com a auto-confiança que um dia imaginei e deixei os saltos altos algures pelo caminho, mas hoje sinto-me eu própria e com essa confiança que tanto desejava. Hoje, ao pensar no que um dia imaginava ser, vejo que me tornei em alguém ainda melhor do que algum dia poderia imaginar, que estou exactamente onde queria estar.

       Não sou uma pessoa de trato fácil, sei que por vezes corto as relações radicalmente quando algo me magoa. Sei que sou teimosa que chegue e que por vezes o meu lado feminista se alia ao exagero (nada de extremismos!). Não sou a pessoa mais carinhosa à face da terra e nem sequer sou a pessoa mais paciente. Não faço fretes com quem não gosto, a não ser que seja estritamente necessário, e nem sequer me dou ao trabalho de fingir ser aquilo que não sou. E apesar de todos estes 'ses' sei que o meu outro lado, o das coisas boas, equilibra tudo o resto. Posso não ser muito carinhosa, mas sou muito humana e humanitária. Posso ser teimosa, mas peço desculpa e dou o braço a torcer quando necessário. Odeio fazer fretes, mas porto-me educadamente quando necessário, mesmo que não goste da pessoa à minha frente. Sou trabalhadora, nunca deixo de lutar por aquilo que quero e nem sequer me atiro para o chão a fazer de vitima (apesar, naqueles dias mesmo muito maus, sinto que tenho de me vitimizar, mas é raríssimo!). Faço voluntariado, envolvo-me na minha comunidade e agora encontrei um emprego que ainda me faz envolver mais nestas questões sociais. Não paro, se por um lado é terrível ter sempre a agenda cheia, por outro é o que me faz sentir útil, sentir integrada. E amo, quando amo, amo de coração inteiro, de todo o meu ser.

        E o mais importante? Sinto que nunca desisti de mim, de melhorar, de aprender, de mudar. Olho para os últimos anos e vejo que a reflexão me levou a uma maior aprendizagem sobre mim mesma, encontro aquilo que quero mudar e tento, insisto, até alcançar a mudança. Não é fácil identificarmos os nossos próprios erros e defeitos, não é fácil perceber por onde pode começar a mudança, mas é possível. É possível mudar, crescer e sinto que nos últimos anos é isso mesmo que tenho feito. Leio pessoas que me inspiram à mudança, leio vidas que me intrigam que me fazem desejar pela mudança, pelo crescimento pessoal e tudo isso me leva a uma vontade ainda maior de crescer, de me transformar em alguém ainda melhor. Acredito que este processo é infinito, que nunca paramos de nos transformar, mas sinto-me cada vez mais perto da pessoa que sempre quis ser. Ainda há muito trabalho pela frente, ainda há mudanças a fazer, mas sinto que a cada dia que passa tenho mais orgulho na pessoa que me estou a tornar.

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)
Revista Inominável

Nas páginas de...

2018 Reading Challenge

2018 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal