Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

14
Out20

A rapariga apanhada na teia de aranha (12/12)

(Imagem retirada daqui)

        Comecei a ler a saga Millennium em 2019 e desde aí que tenho vindo a comprar os livros da saga aos bocadinhos, consequentemente, a ler também aos bocadinhos. Tenho achado a saga muito boa, cheia de intriga, mistério e com inúmeras reviravoltas que nos apanham desprevenidos. Tem sido isso que me tem mantido agarrada e motivada ao longo da história de Lisbeth, pois a verdade é que nunca sei o que esperar. No entanto, demorei imenso tempo a ler este quarto livro e não sei bem explicar porquê. A saga continua tão misteriosa como o costume, mesmo com a mudança de autor, mas houve algo que me distanciou deste livro.

          O criador da saga, Stieg Larsson faleceu sem terminar a história de Lisbeth e David Lagercrantz deu continuidade a este mundo negro e obscuro. Se notei diferença na passagem de um autor para o outro? Penso que não, pois como referi, o enredo da história continua bastante activo e as personagens mantêm-se tal como as conhecemos, mas a verdade é que demorei mais de um mês a ler um livro que normalmente leria em menos de três semanas. Não sei se foi pelo facto de Lisbeth estar menos presente neste livro, constante, mas com menos pensamentos e com mais acção em seu redor. Não sei se foi pelo facto de não haver quase desenvolvimento na relação entre Mikael e Lisbeth. Ou até, se por simplesmente a revista Millennium estar novamente em queda e estar desesperadamente à procura de uma nova história. 

          Este quarto livro anda em torno da morte de um famoso informático que trabalhou para uma das maiores empresas do mundo de softwares, acreditando que a Inteligência Artificial viria a ser o futuro. É a partir desse momento que verdades se começam a descobrir e que uma testemunha ocular e sem capacidades sociais se torna num alvo a abater. É então onde entra Lisbeth e Mikael, Mikael por mera coincidência (ou talvez não) e Lisbeth em defesa da verdade e dos menos protegidos.

         A saga é boa, os elos entre os livros vão sendo criados, mas acho que ficou a faltar qualquer coisa neste quarto livro. Fiquei com a sensação que lhe faltava personalidade, conteúdo e não apenas uma descrição de acontecimentos. Lá em casa já pára o quinto livro "O homem que perseguia a sua sombra", mas ainda vou precisar de deixar passar algum tempo para lhe tocar. Preciso de voltar a aganar mais entusiasmo por uma saga tão boa como a Millennium.

P.S.: E com este livro alcancei o meu Reading Challenge de 2020, 12 livros.

07
Out20

A mudança para champô sólido

IMG_20200926_211850_780.jpg

(Imagem de Just Smile)

       Um dos meus objectivos para 2020 era diminuir o meu lixo, aliado de mudar alguns produtos de beleza para produtos mais naturais. Admito que essa mudança tem sido lenta, mas já consegui dar alguns passos, o gel de banho já não é utilizado por mim e agora passei também para um champô sólido. Admito ainda que esta última mudança ainda foi a que mais receei e mais pesquisei por vários motivos, tenho uma pele bastante sensível e faço facilmente reacção alérgica a qualquer produto e ainda o preço para investir em algo que não sabia se iria ser do meu agrado ou não. Mas como o meu champô estava a terminar, lá decidi arriscar.

       Antes de comprar um champô sólido decidi fazer uma pesquisa sobre os que estavam à venda no mercado e procurei por opiniões reais, afinal o meu cabelo é demasiado oleoso e fino para experimentar qualquer coisa (já para não referir, novamente, as minhas ricas alergias). Vi vários preços e opiniões nos próprios sites, mas foi em blogs que procurei as opiniões e onde me baseei sobre os mais variados produtos, afinal já existem muitas marcas de champôs sólidos. Acabei por optar pelo champô sólido para cabelos oleosos da loja Mind The Trash, produtos naturais e as opiniões pareceram-me ser bastante boas. Lá comprei o champô e...

        Não é que gostei? No primeiro dia em que o usei abusei do champô e demorei imenso tempo a tirar a espuma do cabelo, nunca pensei que um champô sólido desse tanta espuma. Nas vezes que se seguiram tive mais cuidadinho. E o cabelo? Ficou com uma leveza que já não sentia há algum tempo e com um cheirinho fresquinho bastante agradável. Quanto à oleosidade, consigo lavar o cabelo dia sim dia não, o que para mim já é óptimo. Fiquei bastante surpreendida por ter gostado deste champô e ainda para mais é feito de produtos naturais.

        Este champô foi sem dúvida mais um passinho no desperdício zero e para me tornar mais amiga do ambiente, até porque a embalagem é de papel reciclado. Yupi! Mais um passinho!

25
Ago20

Fim de Férias com Porto Legends

IMG_20200810_095341.jpg

        Como já referi este ano as férias foram caseiras e num dos últimos dias das férias decidi dar ouvidos à Mula e fomos ver o Porto Legends na Alfândega do Porto. Sinceramente não sabia bem ao que ia, sabia que era um programa maioritariamente digital e que aprenderia algumas lendas sobre a cidade do Porto. Lá fomos nós à aventura para descobrir o que era então esta experiência.

       Numa das caves da Alfândega vários projectores mostravam imagens mágicas nas paredes de pedra que nos rodeavam, no meio do carril que ainda se encontra no chão, víamos imagens como que por magia. O espaço estava vazio, apenas as imagens preenchiam as paredes, todas as paredes, com variadíssimas imagens e raramente a mesma, levando-nos para uma espécie de mundo mágico, cheio de pózinhos de perlim-pim-pim.

IMG_20200807_193607.jpgIMG_20200807_191416.jpg

       Com o auxílio de auscultadores o narrador começa a contar as lendas da cidade do Porto e à nossa volta as imagens vão ilustrando aquilo que vamos ouvindo. É fantástica a forma como as coisas acontecem à nossa volta, como as imagens são dinâmicas e como podemos percorrer a cave da Alfândega e observar as diferentes perspectivas das histórias. Achei toda a experiência bastante criativa, no entanto, como eu e Ele já tínhamos feito a Scary Porto Stories Tour em 2014 a verdade é que já conhecíamos algumas das lendas perdendo o factor "Uau". Outra questão que se levantou foi o valor inicial desta experiência, apanhamos uma oportunidade de dois bilhetes por 15€, achando um valor acessível, no entanto, se tivéssemos dado o valor inicial por cada bilhete sairíamos de lá bastante desiludidos. A experiência é interessante, aprendem-se coisas novas sobre a nossa cidade, mas 15€ seria realmente demasiado.

           Apesar de não termos tido o factor "Uau" durante a experiência toda, soube bem ver algo novo e criativo e acho que quem tiver oportunidade deveria experimentar.

 

 

Inspiração do Mês

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)

Nas páginas de...

2020 Reading Challenge

2020 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal estudoemcasa-mrec