Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

10
Dez18

Um homem chamado Ove (9/12)

(Imagem retirada daqui)

       Demorei eternidades a ler este livro. Não porque fosse aborrecido. Não porque estivesse mal escrito. E muito menos porque não gostasse. A verdade é que o tempo me escasseou desde que mudei de emprego e a coisa tornou-se complicada, mas na semana passada, enquanto esperava pela consulta no dentista, terminei de ler este livro fantástico.

       Ao ler Um Homem Chamado Ove, lembrei-me de muitas pessoas que fui conhecendo ao longo da vida. Um tio, um dos vizinhos da rua, um dos pacientes na antiga clínica que trabalhei e até um ou outro conhecido. Ove no fundo, deu-me a conhecer muito sobre o tipo de homens que nunca consegui compreender, os literais que não conseguem estar parados, que não conseguem demonstrar sentimentos e que apenas se queixam de tudo e de nada. Ove ensinou-me que por vezes esse tipo de homens nem se apercebe que é assim e que no fundo têm um grande coração, apenas resmungam porque não sabem fazer outra coisa. Este foi um dos melhores livros que li nos últimos tempos. A história em si, as personagens e o enredo são demasiado bons para serem esquecidos. Ove, um homem solitário e visto como o resmungão do bairro é no fundo a melhor das pessoas que podemos um dia vir a conhecer.

       Este é um livro inesperado, completamente diferente daquilo que estava habituada e esse é o seu encanto. A história toma um rumo inesperado, une personagens que jamais imaginaríamos juntos e torna uma personagem odiada na mais querida do livro inteiro. É difícil de descrever a grandiosidade deste livro, apenas posso dizer LEIAM UM HOMEM CHAMADO OVE.

 

       "«Amar alguém é como mudar de casa.», costumava Sonja dizer. «A princípio, apaixonamo-no por todas as coisas novas, todas as manhãs nos espantamos por aquilo tudo nos pertencer, como se receássemos que de repente alguém nos entrasse a correr porta adentro a dizer que tinha sido cometido um erro terrível e que, na verdade, não deveríamos estar a viver num lugar tão maravilhoso. Depois, ao longo dos anos, as paredes desgastam-se, as madeiras racham aqui e ali e começamos a amar a casa, não tanto por toda a sua perfeição, mas pelas suas imperfeições. Aprendemos a conhcer todos os seus recantos. A evitar esquecer a chave na fechadura quando quando está frio na rua. Qual a tábua do soalho que cede ligeiramente quando a pisamos ou a maneira exata de abrir a porta do guarda-roupa sem a fazer ranger. São estes os pequenos segredos que fazem dela a nossa casa."

04
Dez18

O melhor de 2018

         Com o ano de 2018 a chegar ao fim, já é tradição aqui pelo cantinho fazer a lista do que melhor vi, escrevi e senti por aí. Este ano não poderia ser excepção. Admito que foi um ano fraquinho para a sétima arte, não houve muito tempo nem muita predisposição para ver inúmeras séries, foi o ano em que menos livros li e em que menos filmes vi, ainda assim existiram aqueles que nunca nos saíram da memória.

1. Série Televisiva

       La Casa de Papel foi a série que marcou o ano, sem dúvida alguma. Esta foi a série que mais me prendeu ao ecrã e que me fez ansiar por cada novo episódio. Uma série inovadora, fora da caixa e completamente inesperada que me marcou pela originalidade. Existiram outras séries que fui vendo depois de casar, mas nenhuma me agarrou tanto como esta série espanhola.

2. O Filme

       Mas que filme fantástico! Bohemian Rhapsody foi o melhor filme do ano, é verdade que também não vi muitos, mas sem dúvida que este marcou-me. O foco na história da banda e das suas músicas foi fantástico, a história da vida de Freddy acabou por ser secundária e foi isso que tornou o filme dos Queen e de mais ninguém. Adorei o filme e valeu bem a pena a ida ao cinema numa noite de frio e chuva.

3. O Livro

       Até me sinto mal com o pouco que li este ano, mas, vá, foi tudo por uma boa razão. O livro que mais me prendeu e que mais me marcou ao longo de 2018 foi Vai e Põe uma Sentinela, uma sequela que há algum tempo que desejava ler e que não desiludiu nem um segundo. Uma verdadeira obra de arte que nos traz a uma nova realidade e a uma nova visão dos factos. Este foi sem dúvida um dos melhores livros do ano, senão mesmo de sempre.

4. A viagem

       Ai que este ano foi tão pobre em passeios... Mas quando viajamos foi há grande! A nossa lua-de-mel foi no México, um local que superou completamente as minhas expectativas. Foi uma viagem de sonho, onde tudo correu bem, onde conseguimos passear e descansar. Apesar da falta de passeios ao longo do ano valeu a pena esperar e fazer a viagem que Ele tanto queria.

5. O Post

       Este ano foi um ano de bons posts, fosse sobre o minimalismo ou até sobre os preparativos para o casamento e o conceito felicidade, mas não poderia de deixar de referir o post que partilhei com vocês o dia do meu casamento. Demos finalmente o Nó foi o post que marcou a minha mudança de vida, onde partilhei tudo aquilo que senti num dos dias mais felizes da minha vida e que realmente marca o ano de 2018. Foi tão bom partilhar tudo isso com vocês!

         2018 foi um ano cheio de coisas boas e as provas disso estão aqui neste cantinho.

26
Set18

A minha lista de leituras

3.jpg 

     Este ano as leituras andam um tanto ou quanto atrasadas. Tenho livros, tenho interesse, mas outras questões têm-se sobreposto à minha vontade de ler, seja o cansaço ou as inúmeras coisas que têm acontecido na minha vida. Os livros têm começado a ficar pousados em cima da mesa, mas pouco lhes tenho tocado, a única altura em que li um livro seguido foi na lua-de-mel em que Ele aproveitava o sol e eu punha a leitura em dia. Não tem sido fácil conseguir enquadrar e regular os meus hábitos de leitura nestas transformações da minha vida. Quero incutir tal hábito, quero conseguir reformular os meus horários, mas os livros têm realmente ficado para último plano. Contudo, tenho uns quantos livros na estante (a maioria adquiridos recentemente na Feira do Livro) que estão à espera de serem tocados e ando desejosa de o fazer.

1.jpg

       Neste momento tenho entre mãos Um Homem chamado Ove, peguei-o na semana passada, mas (de uma forma vergonhosa) ainda só consegui ler uma frase. Ando cheia de vontade de lhe pegar, mas ainda ontem o cansaço de uma segunda-feira difícil levou a sua a avante. 

2.jpg

        E o Até sempre Mulherzinhas cheguei a tocar-lhe, mas a verdade é que não me conseguiu agarrar da forma que imaginava. Comecei a ler antes da lua-de-mel, no entanto achei que não estava a entrar num ritmo de leitura e por isso decidi para-lo por algum tempo, mas espero conseguir voltar a pegar-lhe.

        Ando neste impasse em relação às minhas leituras, sugestões para encontrar tempo para este meu hobbie?

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)
Revista Inominável

Nas páginas de...

2018 Reading Challenge

2018 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal