Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

07
Set18

Vale a pena acreditar e lutar

(Imagem retirada daqui)

 

       Sou um tanto ou quanto céptica. Só acredito que as coisas acontecem depois de as ver, depois de as experimentar. No espaço de uma semana deixei o meu antigo emprego e ingressei novamente na minha área de formação. Tudo muito rápido o que fez com que durante algum tempo duvidasse de tal mudança, de tal notícia boa. A minha sorte nunca foi muita e dentro de mim o receio ia crescendo de dia para dia, já tinha feito a carta de despedimento, já tinha começado a preparar toda a passagem do meu trabalho, mas dentro de mim tinha uma campainha ridícula que apenas me dizia para dar um passo de cada vez. Um receio que me deixava de pé atrás e que não me permitia comemorar tal notícia. A verdade? A verdade é que só o fiz depois do segundo dia de trabalho, quando finalmente consegui acreditar que tinha encontrado a oportunidade certa para mim.

          Durante muito tempo em mim a esperança adormeceu, afinal foram quase três anos sem trabalhar na minha área a tempo inteiro, no entanto, nunca parei, nunca deixei de procurar e nunca desisti de encontrar aquilo que desejava. É verdade que houve momentos em que me apeteceu parar, definitivamente, houve momentos em que pensei que nunca mais voltaria à minha área de formação e por isso comecei a traçar um plano B mentalmente. A esperança estava parcialmente desaparecida, a vontade de mudar aumentava, mas as respostas, as condições e tudo o mais condicionavam qualquer mudança na minha vida. 

          Apesar do cansaço, da frustração nunca baixei os braços e acho que essa foi a chave para encontrar a minha oportunidade. Foi duro, demorou três anos, mas finalmente consegui algo que me enche as medidas. Isto tudo para provar que vale a pena lutar, que vale a pena continuar a insistir e a procurar, que vale a pena acreditar, mesmo que seja no mais intimo de nós, um bocadinho. Vale a pena não parar. Eu sei que não é fácil, quem por aqui me acompanhou percebeu isso, mas no fim virá algum tipo de recompensa. Tudo acontece por uma razão e cada vez mais acredito nisso.

         Quanto ao novo trabalho? Está a correr bem, ando mais sorridente, mais entusiasmada e cheia de vontade de começaro ano lectivo. Tudo parece ser fantástico, desde a equipa ao projecto em si, mas agora? Um passo de cada vez.

02
Mai18

Maio, o mês das coisas boas!

(Imagem retirada daqui)

 

       Maio chegou e acho que a Primavera e o Verão já passaram, sem dar bem pela coisa chegamos ao Inverno. As botas, os casos grossos e as camisolas de lã que achava já não ter de utilizar até Outubro voltaram em peso e cá não me arrisco a passar frio, por muito que queira voltar às pecinhas leves de estações mais amenas. Apesar do São Pedro não se ter lembrado de que Maio é um mês de Primavera, a verdade é que estou entusiasmada com o este mês e sinto no ar um presságio de coisas boas. Sei que será um mês cheio de tarefas, cheio de compromissos e de trabalho, mas será também o mês de duas (vá, quase duas) semaninhas de férias que me permitirão organizar a vida que tem andado num caos. Os planos para essas semanas não me permitem parar, descansar ou sequer pensar em estatelar-me ao sol (será que o São Pedro sequer admitiria tal proeza?), mas estou entusiasmada com todas as coisas que quero fazer e gostaria de as fazer com o menos de stress possível, queria simplesmente aproveitar o momento que prepara a grande mudança da minha vida. Começo este mês cheia de ideias, cheia de energia e de esperança. Ontem, dia 1, começamos o mês com a nossa sessão de solteiros com os fotógrafos e rodeados de amigos e família. Um dia que ficará para sempre nas nossas memórias. Hoje, planeio este mês com o maior dos carinhos e com a vontade de que tudo corra bem e que consiga cumprir todos os meus objectivos. Para o mês de Maio quero:

 

      1º Organizar a casa, fizeram-nos a promessa de instalarem a cozinha daqui a duas semanas e estou esperançosa que tal aconteça, pois desencadeará uma série de tarefas. Poderemos finalmente começar a pensar na mesa e nas cadeiras que queremos comprar, nas cortinas para a sala e até no tapete que encaixará com o sofá. Já para não falar que o picheleiro poderia, finalmente, terminar todas as suas tarefas. Gostaria de neste mês começar a organizar as coisas, armários e afins, pois no mês que se segue sei que andarei entupida em trabalho e tudo o que poder fazer em Maio será uma enorme ajuda. Finalmente a casinha começa a ganhar forma.

 

      2º Ler um livro, no meio de tanta loucura preciso de encontrar o meu tempo para ler um bocadinho. Ando longe dos livros, agarrada a séries e acabo por me descuidar da leitura que tanto gosto. É verdade que também ando mentalmente cansada, o que acaba por tirar a vontade de pegar num livro, mas necessito de fazê-lo para bem da minha sanidade mental. Este mês não posso falhar e as férias serão o motivo perfeito para isso (ai benditas férias!).

 

      3º Festejar o 10º aniversário do blog. Ah pois é! A Just faz uma década de vida ainda este mês e gostaria imenso de preparar uma pequena surpresa. A data começa a aproximar-se e ainda não dei início aos preparativos, mas gostaria muito de conseguir preparar algo para este aniversário, afinal 10 anos de um blog é quase uma vida! 

 

       4º Avançar com os preparativos para o casamento. As férias foram também escolhidas nesta altura por esta razão, sei que em Julho não conseguirei tirar férias antes do casamento e sei que é necessário preparar imensa coisa, por isso Maio vai ter de ser o mês de preparar essas pequenas coisas. Quero ir buscar as alianças, ir ver o livro de honra, encomendar mais umas coisinhas, escolher definitivamente as flores e o bouquet, quero tratar de fazer a prova de maquilhagem e do cabelo, assim como vou ter a minha primeira prova do vestido (finalmente começou a ganhar vida). Estas serão realmente umas férias dedicadas ao casamento e à casa.

 

       Não são muitos os objectivos que defino para este mês, mas todos eles envolvem bastantes tarefas. Sei que será um mês com imensa coisa para fazer, mas sinto-me bem. Depois do dia de ontem, em que estava um bocadinho receosa, mas tudo correu da melhor maneira possível, que me sinto mais leve, com mais energia e sem dúvida com uma esperança renovadora. Estou ansiosa para que este mês de Maio aconteça, espero apenas é que consiga fazer tudo a que me propus. E que venha Maio, cheiinho de coisas boas, por favor!

 

12
Mar18

A energia do pensamento positivo

(Imagem retirada daqui)

 

     Ao ler Crafting a Simpler Life apercebi-me, aliás, relembrei-me da importância de ter pensamentos positivos. Nem sempre foi assim. Houve alturas da vida em que considerava a sorte um grande factor em tudo o que acontecia de bom na vida dos outros. Acreditava que os outros tinham mais sorte que eu, que os outros tinham mais facilidades que eu e que era pouco recompensada por todo o esforço que fazia. Acreditava piamente, principalmente numa altura muito difícil da vida, que pairava uma nuvem negra sobre mim que me impedia de apanhar qualquer tipo de raio de sol. A sorte não parecia surgir, o azar perseguia a mim e à minha família e tudo o que nos envolvia parecia requerer mais esforço do que aquilo que tínhamos. Sem saber bem como fomos sobrevivendo, passando cada um desses obstáculos e hoje, ao fim de uns quantos anos, somos capazes de respirar de alívio e evitamos pensar naqueles dias pesados e sombrios. Contudo, ao olhar para trás tento perceber quando é que tal coisa aconteceu e apercebo-me que foi na altura da minha própria redescoberta.

      Durante anos consegui esconder-me dentro de mim. A rapariga divertida, sorridente e simpática tinha desaparecido e dado lugar apenas a uma lutadora, a uma revoltada contra o sistema e a uma pessoa um nadinha mais sombria e mais queixinhas, não para com os outros, mas para consigo própria (este blog foi muitas vezes a testemunha disso mesmo). Sem saber como, a verdadeira Just tinha desaparecido, talvez por um conjunto de circunstâncias, talvez por cansaço ou simplesmente falta de força. No entanto, literalmente de um dia para o outro, ao olhar-me ao espelho não me reconheci. Quem estava do outro lado do espelho não era a pessoa sonhadora, não era a pessoa divertida e nem conseguia encontrar a simpatia que a costumava caracterizar. Foi quando me apercebi que aquela não era eu e que precisava urgentemente de voltar a lutar por mim mesma, tinha-me escondido na sombra de alguém, na sombra da vida que corria menos bem e já não tinha nenhuma luz em mim. Decidi então que precisava de mudar. Apenas isso: decidi mudar, ou pelo menos voltar a ser quem já tinha sido. Num ano de mudanças, de relações, de amigos, de vida, eu própria decidi mudar-me, queria ter-me de volta.

      Assim o fiz. Comecei a mudar. Continuei a lutar, continuei a trabalhar afincadamente, mas também comecei a tentar perceber o que queria mudar em mim, o que queria para mim própria. Pela primeira vez em muito tempo estava a voltar a ser egoísta, não de uma forma negativa, mas estava novamente a pensar em mim, nos meus sonhos, nas minhas ambições e no que realmente desejava para o meu futuro. Foi quando toda a mudança começou, toda a energia que estava dentro de mim começou a surtir efeitos na minha vida. Uma luz surgiu em mim e tudo o que podia mudar foi mudado, as relações pessoais, o trabalho e tinha voltado o pensamento para mim mesma. Tudo começou simplesmente com a mudança de pensamento, a mudança de mentalidade,estava novamente com pensamentos positivos. É estranho, mas a verdade é que a energia positiva que tinha dentro de mim começou a exteriorizar-se e a mudar tudo o que tinha há minha volta e foi quando percebi, não de uma forma filosófica, nem idealista, mas sim prática, pensamentos positivos atraem realmente coisas positivas. Decidi então investir mais nesse aspecto da minha vida, pensamento positivo.

      Entretanto, a vida foi acontecendo e aprendi umas quantas coisas: nem sempre o pensamento positivo nutre efeito, é verdade que não vai ser apenas o pensamento que irá mudar as coisas. O pensamento positivo não é suficiente para alcançarmos os nossos sonhos, é necessário batalhar, é necessário esforço, mas sempre acreditando que é possível. Aprendi também que a vida atropela-nos na mesma, não é por termos pensamentos negativos que a vida vai deixar de acontecer e de nos fazer tropeçar, que o diga o meu ano de 2015 (ainda hoje estremeço só de pensar), no entanto o pensamento positivo ensina-nos a lidar com as coisas de uma forma diferente, faz-nos aceitar melhor, por muito dura que seja. E aprendi ainda que há recaídas, há alturas que nem conseguimos ver o lado positivo das coisas, que temos dificuldade em acreditar que tudo irá mudar, mas é normal. Somos humanos e não conseguimos ter sempre as nossas forças focadas em mudar o nosso pensamento, simplesmente precisamos de cair para nos conseguirmos voltar a levantar e com mais força (acredito tanto nesta premissa... cada vez mais!). Nos últimos três/quatro anos dei por mim a conseguir ter pensamento positivo, porque quero, porque me obrigo a isso, e nos últimos meses vi isso desaparecer um bocadinho, foi então ao ler a Crafting a Simpler Life e até a Psicogata que estava a precisar de me inspirar para voltar a trazer o pensamento positivo para a minha vida. Decidi que Março seria mês de voltar a sentir a leveza que o minimalismo trouxe à minha vida, mas também de voltar a sorrir, de voltar a ter o pensamento positivo e de focar a minha atenção para a gratidão. De uma forma banal, descomplicada, precisava simplesmente de inspiração e de alguém a lembrar-me que o pensamento positivo é uma arma para mudar a nossa vida. E eu? Eu entrei em Março com a vontade de voltar a usar essa arma tão poderosa: Pensamento Positivo.

Inspiração do Mês

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)

Nas páginas de...

2020 Reading Challenge

2020 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal estudoemcasa-mrec