Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

15
Nov19

Desafio de Escrita dos Pássaros #10

a739-road-to-end-of-world-car-sat-nav-3.jpg

(Imagem retirada daqui)

Já chegamos? Já chegamos?

         Clementina, a sonhadora. A mulher que que tinha nascido para ser dona de casa, ser mãe e tantos outros afins, mas que se via condicionada à necessidade de trabalhar para pagar as contas e que ainda nem sequer tinha arranjado um namorado. Ela apenas queria a casa com o jardim, o cão a comer as flores e as crianças a andarem de baloiço. Era simples, ela não se importaria de passar camisas a ferro, limpar o pó todos os dias e até de se encarregar de cozinhar e limpar a cozinha duas ou três vezes ao dia, era apenas isso que queria. Ser a mãe, esposa e dona de casa perfeita.

         “- Clementina, como te amo! Queres casar comigo? – o seu coração começou a bater a mil à hora e ela nem sabia bem o que fazer. Abraçou-se àquele homem meio rechonchudinho que estava à sua frente e beijou-o dezenas de vezes.

       De repente Clementina já estava vestida de noiva, de flores na mão e a caminho do altar. Tropeçou ligeiramente no enorme vestido de princesa, mas isso não a impediu de ir parar aos braços do seu apaixonado. E em apenas alguns segundos estava grávida, com uma barriga enorme e um ser novo dentro de si. Daí até ter a casa com a cerca branca, a relva perfeitamente cortada e os cães a correrem pelo relvado…” E então Clementina acordou. Olhou à sua volta e questionou:

          - Já chegamos? Já chegamos?

          - Aonde menina? – a senhora de cabelos brancos, sentada ao seu lado no autocarro não tinha percebido.

          - Já chegamos aos Aliados?

         - Não menina, pode voltar a dormir… - Mas o que a Clementina queria mesmo era já ter chegado ao futuro.

08
Nov19

Desafio de Escrita dos Pássaros #9

Acordaste nu, sem te recordar de nada, numa ilha deserta

        Alguma coisa tinha corrido mal. Muito mal. Disso não tinha dúvida alguma, algo tinha corrido muito mal. Mas o quê?

     Quando deu por si, Mariana acordou com uma brutal dor de cabeça e um calor intenso no corpo. Passou a mão no rosto e apercebeu-se de que as suas mãos estavam ásperas, quase como areia.

     - Mas que raio? – olhou à sua volta e apenas viu areia, mar e vegetação, daquela verdejante, linda, se fosse apreciada numa situação mais ‘normal’. Olhou para o corpo e verificou que o calor que sentia era o início de um potencial escaldão, afinal estava com a roupa que Deus lhe havia dado.

       Mariana deu um salto, entrou em pânico, gritou, saltou, mas ninguém a ouvia. O raio da dor de cabeça teimava em martelar-lhe os pensamentos e sinceramente não conseguia pensar. Olhava, olhava e só via a densa florestação, o mar e a areia.

       - Raios! Mas como é que vim aqui parar, o que é que foi que eu fiz ontem à noite? – Lembrava-se bem de ter um vestido branco no corpo e de calçar as sandálias, lembrava-se também de pelo menos ter a lingerie no corpo que nem agora sabia onde tinha ido parar. – Ok, eu saí de casa vestida, disso tenho a certeza. – Pensou tentando-se tapar de uma forma ridícula como se alguém a estivesse a observar. - Pronto, mas para onde ia eu? – batia com a mão na cabeça para tentar avivar as recordações da noite passada. – Hummm… já sei! Ia para a despedida de solteira da Filipa. E onde raio era isso?

         Voltou a pensar, a gesticular. Sabia que tinha saído de casa, que a despedida de solteira da Filipa era… era num barco! É isso! Mas e depois? Depois… Depois bebeu um bocado, e havia algures por lá o jeitoso de um empregado que servia um champanhe delicioso, daqueles que nunca mais iria beber na vida. Ora, lembrava-se bem de beber uns quantos copos, mas quantos? Não fazia a menor ideia… Andava de um lado para o outro, sobre a areia quente e a única resposta que encontrava é que o barco se tinha afundado e que ela era a única sobrevivente, só podia! Mas de repente, lembrou-se!  Ela não ouvia rigorosamente nada, NADA! Colocou a mão sobre a orelha, pegou no aparelho auditivo, abriu-o e voltou a pô-lo a funcionar. Foi então que ouviu. Ao longe, mas não tão longe assim, ouvia zumba. Zumba numa ilha deserta? Impossível! Seguiu um bocadinho por entre o arvoredo a música até que um guarda a encontra:

        - Menina, não pode estar nesta praia. Esta praia é a do Resort e não de nudistas, a que quer é mais lá para o fundo. – disse ele apontando para a esquerda, enquanto a Mariana ficava vermelha que nem um pimento.

04
Out19

Desafio de Escrita dos Pássaros #4

A Beatriz disse que não. E agora?

        Olha, agora paciência! Menina mimada que sempre achou que poderia ter tudo quando quisesse. Rais’ma parta a miúda! Vem lá ela, com aquele nariz empinado, dizer que não posso tirar um dia de folga? Ela? Ela que não faz nada da vida, que passa o tempo todo no facebook e de repente vem dizer-me que não posso tirar um dia de folga? Mas quem acha ela que é! Teve sempre tudo de mão beijada e achava que me poderia tirar um direito? Está sempre cheia de mania em cima dos saltos altos que tão bem lhe ficavam espetados na testa. E quando chega naquele BMW topo de gama? É que já nem falo do facto de sair sempre uma hora antes dos outros e de chegar sistematicamente atrasada. Sempre com a mania! Ai, não suporto a miúda. Para além da mania é incompetente! Não percebe nada do que diz, poderia estar um dia inteiro a tentar-lhe explicar os dados estatísticos da empresa que ela abanaria sempre com a cabeça que sim, mas nunca seria capaz de fazer um exemplo que fosse sozinha. Não tem um palmo de testa e tem a mania que é mais inteligente que todos os outros, como raio foi parar a um cargo de chefia? Teve de ser cunhas, só pode! E depois vem lá com o discurso que temos de ser compreensivos, que estes são tempos difíceis e que temos de agradecer a oportunidades que nos dão. Ela poderia era muito bem agradecer o que a gente se esfalfa para levar esta empresa para a frente ou até ter a humildade de que não percebe nada disto e que nós somos a sua salvação. Ao contrário disso, adora dizer que esta é uma empresa na vanguarda, mas não faz nada para que isso aconteça. Salva a sua pele é mais importante do que defender a camisola!

        Rais’ma parta a Beatriz! Ela disse que não? Olha, agora paciência!

Inspiração da Semana

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)
Revista Inominável

Nas páginas de...

2019 Reading Challenge

2019 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal