Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

15
Abr21

Do amor... #33

       Aqui há umas semanas, estava a dar na televisão um filme sobre cães e a relação deles com os donos. Um daqueles filmes mesmo fofos que nos aconchegam sempre o coração, mas que inevitavelmente terminam sempre com a morte de um cão e com o coração despedaçado de uma família. No final do filme, comecei a fungar um bocadinho para ver se Ele não reparava, caiu uma lágrima e limpei-a, até que Ele olhou para mim:

        - Estás a chorar? - eu, com um nó na garganta lá respondi.

        - Um bocadinho... Oh o cãozinho morreu, é de partir o coração! - e depois da atenção d'Ele não consegui controlar e abriu-se uma torneira nos meus olhos e até solucei! Ele primeiro nem soube reagir, ficou a olhar, acho que nunca me tinha visto chorar tanto num filme.

         - Nem consigo comentar... Ainda me surpreendes! - E lá fiquei eu a choramingar, mas pelo menos com um abraço apertado d'Ele

19
Fev21

A Ressaca dos 30

IMG_20210218_164015.jpg

(Imagem de Just Smile)

          A entrada na casa dos 'intas' não foi como tinha imagino. Sempre tinha imaginado que no meu aniversário dos 30 anos estaria a viajar por algum lugar desse mundo. Imaginei-me de mochila às costas, como realmente gosto de andar pela vida, de estar a conhecer algo novo e a criar novas memórias, algo de que tenho realmente saudades. Imaginava-me ainda a fazer uma grande jantarada com os amigos, para brincar, rir e até dançar na minha entrada dos 30, mas tudo isso ficou apenas no imaginário. Qualquer tipo de festejo no meu aniversário, que me obrigasse a sair de casa, foi completamente anulado. Não pude ir ver o mar, não pude ir caminhar por um parque e nem sequer receber os abraços todos que gostaria de ter recebido. Mas nada disto impediu de que a minha entrada na casa dos 30 não tenha sido memorável.

         É verdade que tive de trabalhar porque a folga do Carvanal nos foi, devidamente, retirada, mas ainda assim tive um dia muito bom, um dia que me encheu o coração e que me fez aperceber de que estou rodeada de pessoas que gostam de mim e de quem eu adoro. Recebi chamadas de amigos do coração, recebi músicas e até uma serenata à varanda das minhas primas mais novas (uma adaptação aos novos dias da música do Marco Paulo), recebi mensagens que me aconchegaram o coração que tem sofrido com a saudade. Recebi tanto amor neste dia que agora vejo que não o poderia ter passado de melhor forma, nestes dias que correm. Mais do que fazer anos senti-me tão grata pelas pessoas que tenho na minha vida, pelas pessoas que fui conhecendo ao longo do caminho que se torna difícil de traduzir isso em palavras. 

          O dia começou com o pequeno-almoço preparado por Ele, e sem eu saber bem, meteu um dia de férias para poder estar comigo no meu aniversário, pois caso contrário só nos cruzaríamos às 21h00 para jantar. Deu-me o livro do Záfon e a garrafa de vinho do Porto do meu ano de nascimento, tal como lhe ofereci no ano em que fez os seus 30 anos, achei isso tão querido e dedicado! Depois trabalhei, entre chamadas, mil e quinhentas mensagens e terminei o meu dia de aniversário com uma chamada de vídeo com os os meus irmãos, sobrinhos e pais e ainda uma chamada de vídeo surpresa com a minha #dreamteam, os melhores colegas de trabalho com quem alguma vez me cruzei na vida. Digo-vos, no meio da correria dos dias, no meio de tanto trabalho, no meio deste mundo louco, sentir que algumas pessoas tão especiais tiraram um bocadinho do seu dia para 'estarem comigo' fez-me sentir a mulher mais sortuda à face da terra.

        Este dia pode não ter sido nada daquilo que imaginei para mim, mas foi muito mais do que poderia ter imaginado para entrar nestes 30! Sou uma sortuda e entro nesta nova década de vida cheia de gente boa ao meu lado. Um obrigada a todos, àqueles que fazem parte da minha vida, a Ele que me faz sentir grata todos os dias por merecer o seu amor e a vocês que já me acompanham há mais de uma década. Agora? Agora vou ressacar desta entrada nos 30, não pelo champanhe, mas por me ter sentido embriagada de tanto amor e carinho

13
Jul20

Bodas de Algodão

IMG_20200710_112838.jpg

(Imagem de Just Smile)

        Faz hoje dois anos que o encontrei no altar. Faz hoje dois anos que o vi mais nervoso do que nunca. Faz hoje dois anos que trocamos alianças e que nos unimos como sendo um. Faz hoje dois anos que demos o nó.

         Se nas nossas Bodas de Papel dizia que o nosso primeiro ano de casados tinha sido um turbilhão de problemas e acontecimentos, finalmente tivemos direito ao nosso ano de lua-de-mel. Finalmente, entrou nas nossas vidas algum nível de tranquilidade e conseguimos dedicarmo-nos mais um ao outro, ao nosso casamento. Por vezes distraímo-nos e deixamo-nos cair na rotina, na correria do dia-a-dia e deixamo-nos apenas ficar agarrados aos nossos pensamentos. Outras vezes tentamos sair da nossa zona de conforto e saímos, voltamos a ir a parques e esplanadas (tirando em época de covid...), fazemos jantares saborosos dedicados a nós próprios. Este ano tivemos mais domingos nossos, de ficarmos a namorar no sofá ou simplesmente a ver televisão. Conversamos mais, sonhamos mais. Acertamos melhor os nossos horários. Começamos a concretizar o sonho de construir a nossa casa. Este foi sem dúvida o nosso ano, a força que ficou do primeiro poderá permanecer, o resto poderá ser para esquecer.

             Ao fim destes dois anos continuo com a mesma certeza que tinha no dia em que me casei, casei com o meu melhor amigo. Casei com a pessoa com quem mais quero falar, com quem mais quero estar, com quem mais quero partilhar. Casei-me com a pessoa que mais quero ver feliz, que mais quero ver bem. Casei-me com a pessoa por quem faço tudo para ver sorrir. Casei-me com a pessoa que me completa. Temos as nossas brigas, as nossas chatices, as nossas quedas na rotina. Temos a nossa necessidade de sermos abanados, temos a necessidade de sermos acordados, mas somos nós. Aqui há tempos perguntei-lhe como definiria o nosso casamento, respondeu-me "Como nosso", a resposta na altura não me satisfez, senti-a como incompleta e pouco reflectida. Hoje faz-me todo o sentido. É impossível comparar o nosso casamento, é impossível definir o nosso casamento, porque simplesmente é nosso. Hoje, este nosso completa dois anos e que venham muitos mais ao teu lado.

                   Juntos, para o infinito e mais além.

Inspiração do Mês

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)

Nas páginas de...

2021 Reading Challenge

2021 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal estudoemcasa-mrec