Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

18
Jun20

"E o bebé, quando vem?"

(Imagem retirada daqui)

         Num destes dias estava à conversa com a minha irmã sobre bebés. Ela espera pelo segundo filho e eu comentava com ela como ter filhos ainda me assusta. À minha volta estão bebés por todo o lado ou grávidas, vejo as minhas amigas de infância terem filhos e fico muito feliz por elas, mas ainda não me consigo ver como mãe ou como grávida e esta é a pergunta que mais me fazem nos últimos tempos. Quase a fazer dois anos de casada a primeira pergunta que me fazem quando me vêem passado algum tempo ou até pela primeira vez, é: para quando o bebé. Prontamente respondo "primeiro tenho de dar à luz uma casa e depois logo se verá", claro que isto pode ter dois tipos de caminhos, iniciar uma série de argumentações em como a nossa casa é pequena e mal dá para nós ou em como não devemos esperar muito tempo e blá blás. Ultimamente não tenho tipo hipóteses em conseguir fugir a este tipo de questões, mas a verdade é que não é só a casa que me impede de ter filhos neste momento (apesar de, acreditem, é um dos principais motivos), mas é também a sensação de imaturidade e até mesmo (quem sabe) de algum egocentrismo.

       Ser mãe sempre foi uma das coisas que desejei e continuo a desejar, não me interpretem mal, mas sinto que ainda não fiz tudo o que queria fazer antes de avançar para essa nova fase da minha vida. Sinto que neste momento sinto-me tão plena na vida que tenho e no meu corpo que alterar tudo isso torna-se, ligeiramente, assustador. Gosto da minha liberdade, gosto da minha capacidade financeira para pensar numas férias, gosto de ter os meus momentos sozinha com o meu livro ou uma boa série, adoro manter a casa arrumada e gosto da nossa relação, a dois. Por muito que queira acreditar que algumas das coisas se mantêm depois de ter um filho, eu não consigo acreditar que a transformação não será mais que gigante e que a minha vida será totalmente diferente e dedicada ao trabalho e a um ser pequenino. Receio perder o meu espaço, o meu momento e até toda a tranquilidade interna que fui conquistando ao longo dos anos. E é aqui que vejo o meu egocentrismo, ainda não fiz o mestrado que queria, ainda não visitei Nova Iorque como imaginava e ainda não fui capaz de fazer aquela Roadtrip por Itália que teve de ser adiada. E sinto que ao ter filhos estou a adiar indefinidamente os meus projectos pessoais.

         Sei e tenho a certeza que se vier a ser mãe sem tais conquistas isso não me fará confusão e que amarei qualquer ser vindo de mim, mas neste momento sinto que corro contra o tempo e que este não está a meu favor. Ele quer filhos, eu quero aventura, quero crescimento e só depois os filhos. Temporalmente as coisas parecem não ter qualquer tipo de congruência e sei o que vão dizer "mas vais poder fazer tudo isso com filhos" e até acredito que sim, mas sei que tudo será muito mais complicado, muito mais sofrido e não sei até que ponto é que não desistirei desses objectivos com o intuito de ser uma boa mãe.  E o meu corpo? Finalmente me sinto confortável na minha pele, pela primeira vez estou como sempre desejei e sinto que ao ter filhos o meu à-vontade irá desaparecer. Sei que poderá ser tudo da minha cabeça, mas a verdade é que com a chegada de um bebé a minha vida mudará para sempre.

        E estou cansada da pergunta "e o bebé quando vem? Não deixem para muito tarde que depois são só problemas e já não vão ter paciência", pois em mim a resposta nunca é tão simples como a que dou a entender, inicia-se sempre uma batalha argumentativa dentro da minha cabeça em que só me apetece parar o tempo e deixar correr. Quero filhos, só gostava de ter mais meia dúzia de anos para os ter.

15
Mai20

E o blog chegou à adolescência, 12 anos!

(Imagem retirada daqui)

      Hoje esta casa faz 12 anos, chegou à fase da adolescência. Já não faz desafios de responder a mil e quinhentas questões, já não fala só sobre a escola nem sobre desilusões amorosas ou amores platónicos. Se calhar a adolescência aqui também lhe fez bem, as cores berrantes foram aos poucos desaparecendo, dando lugar a um lugar mais simples e limpo. Ou será que este blog, que se iniciou na minha adolescência, chegou finalmente à idade adulta? Será que a idade dos blogs se conta como a idade dos cães? Se calhar é isso, foram 12 anos mas na realidade devem corresponder a 64 anos (se calhar estou a exagerar um nadinha...)

         As vontades, os gostos, o estilo de escrita e até o tempo foram mudando ao longo destes anos. Esta casa é a prova viva da minha evolução e por vezes dou por mim a ler posts de 2008/2009 e tenho a sensação que não fui eu que os escrevi, mas alguém do passado que conheci de passagem. Se calhar é mesmo isso que acontece, quem os escreveu já não sou eu e a forma como foram feitos já nada se parece com a forma que o faço agora. É estranha esta evolução, é estranha esta forma de crescer através das palavras e de conseguirmos ver de forma tão precisa o nosso antes e agora. Mas estou grata, grata por tudo. Pelo blog, pelas amizades que com ele criei, pelas histórias que aqui escrevi e até pelos livros que falei. Estou grata por estes 12 anos de blog.

          Quem diria que a Just Smile iria durar 12 anos!

27
Dez18

Para 2019...

       O ano de 2018 foi sem dúvida um dos melhores anos da minha vida, mesmo com apenas metade da lista de objectivos concluída. O facto de ter ficado meia lista por realizar fez-me ponderar melhor os objectivos para o próximo ano, quis definir para mim própria coisas mais palpáveis, mais realistas e mais concretizáveis. Consegui parar para imaginar como seria o meu próximo ano, o trabalho que viria em 2019 e como conseguiria nele encaixar os meus objectivos, assim surgiu esta lista de objectivos. É verdade que nem toda a gente se dá com objectivos, é também verdade que nem toda a gente os segue lá para meio do ano, mas eu sei que comigo funcionam e aqui fica a minha lista de desejos para 2019.

        Ler 12 livros, se 2018 foi um ano fraco para as minhas leituras, em 2019 tenho de compensar tal facto. Durante o próximo ano preciso de encontrar tempo para mim e ao encontrar tempo para mim, encontro para os meus livros. Este ano tenho de desenvolver melhor a minha rotina e nela conseguir integrar a leitura, além de que espero (espero mesmo!) que este seja um ano com menos correria.

       Poupar para a casa nova, poupar continua a ser uma das palavras de ordem e o nosso próximo investimento é daqueles que será para a vida toda. A ideia seria ainda durante 2019 começarmos a construir a nossa casa, mas pelo andar da carruagem a coisa não vai lá, assim o objectivo será juntar o máximo possível para conseguirmos a nossa casa. Nada grandioso, nada 'Uau', mas um lugar a que possa chamar de 'a nossa casa'.

       Umas férias de verão boas, por causa desta coisa de construir casa Ele tirou-me o tapete dos pés e obrigou-me a deixar as viagens de lado (admito que ainda é coisa que me irrita um bocadinho), logo capitais europeias estão fora de questão. Ainda argumentei com Grécia ou Itália, mas a coisa não funcionou. Espero pelo menos conseguir umas boas férias ao sol, de pé na areia e com algo bonito para visitar.

       Terminar a pós-graduação, este é um dos objectivos mais importantes. Quero terminar a pós-graduação, lá para Julho, e com sucesso. Quero dar mais este passo na minha vida profissional e logo se verá os passos seguintes, no entanto em 2019 esta terá de ser uma das minhas prioridades.

       Fazer um workshop de culinária, desde que casei que tenho percebido que cozinhar é para mim um momento de relaxamento e de prazer. Dá-me gosto cozinhar, mas admito que não sou muito de arriscar com ingredientes que não conheço e gostava de em 2019 conseguir fazer um workshop de culinária para me desinibir um bocadinho na cozinha. É verdade que em 2018 esse já era um objectivo, mas a falta de tempo e a incompatibilidade de horários ditaram a falha desse objectivo, por isso que venha o próximo ano para o ver concretizado.

      Voltar à piscina com regularidade, tem de ser! Não há hipótese! As minhas costas já se queixam, já me sinto uma velha com os músculos perros e agora não posso encontrar desculpas. Tenho de voltar DE VEZ à piscina e não pode ser só uma vez por outra...

       Fazer pelo menos duas escapadinhas por Portugal, já que Ele não me deixa ir conhecer uma capital europeia tem de me compensar de outra forma. Por isso, durante o próximo ano temos de pelo menos fazer duas escapadinhas pelo país. Uma já está agendada para o mês de Janeiro (diga-se de passagem que foi a prenda que lhe dei de aniversário) e a outra ainda tem de ser ponderada, mas quero conhecer sítios novos!

         E ainda há tanto que quero que aconteça durante o próximo ano. Quero conseguir relaxar mais e conviver mais com a família e amigos que ao longo do último ano foram prejudicados. Quero mais jantaradas lá em casa. Mais momentos de sofá e manta com o comando na mão. Mais domingos a fazer bolos. Mais momentos para cuidar de mim. Mas principalmente, que 2019 venha com mais aprendizagens, com mais minimalismo, com mais desperdício zero e com mais felicidade!

           E quais são os vossos objectivos para 2019?

Inspiração do Mês

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)

Nas páginas de...

2020 Reading Challenge

2020 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal estudoemcasa-mrec