Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

21
Dez20

Querido Pai Natal,

        Querido Pai Natal,

       Não poderia faltar a tradição e cá estou eu, mais um ano, para pedir coisinhas ao rico Pai Natal, mas a verdade é que este ano nem sei bem o que te pedir. Apesar da chegada do covid-19 acabaste por concretizar a maioria dos pedidos que te fiz no ano passado, mas sejamos sinceros, também não fui nada exigente. Acabaste por dar a saúde e as coisas boas aos meus sobrinhos, a reforma ao meu pai e até baixaste os preços do Porto para Roma, pena não ter ido a lado nenhum graças ao bicho cujo-nome-não-deve-ser-pronunciado, mas a culpa não foi tua. A sensação que tenho deste 2020 é que muita coisa me escapou por entre os dedos, mas não por falta do tempo, simplesmente por o tempo ter estagnado. O isolamento, o confinamento e o distanciamento impediu-me de criar tantas recordações com quem gosto que sinto que 2020 realmente foi um ano, praticamente, nulo. Será que posso considerar que em breve faço outra vez 29 anos?

        Este ano até foste meiguinho para a minha irmã, deste-lhe mais um rebento, é verdade que a viagem ficou fora do percurso, mas chegou mais um sobrinho amoroso (que continuo sem ter pegado ao colo...). Teve um ano mais descansado em casa com a gravidez e agora com a licença, acho que ela acabou por desacelerar um bocadinho a vida e estava realmente a precisar. Para o ano dá-lhe trabalho, um bom emprego, ela já tem, mas pelo menos que tenha um bom ambiente e que goste do que faz. Ao meu irmão continua a dar-lhe a boa vidinha que tem, ele gosta e acho que aprecia bem a tranquilidade que vai tendo, ele até apreciava uma casinha, mas como a coisa não tem estado fácil para encontrar, não sou exigente.

         Não posso pedir mais nada para os meus sobrinhos a não ser muitos sorrisos e muita saúde. Caramba! Estão tão crescidos, acreditas que dois já sabem escrever e que o terceiro irá aprender no próximo ano? Começo mesmo a sentir-me velha, eles já não são aqueles pequeninos que pegava ao colo e que enchia de beijos, eles agora até são capazes de gozar comigo, acreditas tu nisto? E para o mais pequenino e mais recente só desejo muita saúde e que finalmente tenha a oportunidade de ser abraçado pela família toda (vá bicho cujo-nome-não-deve-ser-pronunciado, chô, vai-te embora!).

         Para os meus pais foi um ano bom, ficaram sem o cruzeiro de sonho deles, ms pelo menos o meu pai sempre conseguiu a reforma que tanto desejava e anda realmente mais tranquilo. Vê lá tu que agora até decidiu virar-se para a bricolage! Quem diria, o senhor meu pai virar-se para bricolage! A minha mãe deu-nos alguns sustos, um que ainda hoje prefiro ignorar que realmente aconteceu, e só desejo saúde e força mental para ela. Dá muita saúde aos meus pais, por favor, preciso deles e eles de mim, mas a saúde tem de estar presente. Acho que tendo eles isso, já serão felizes.

         O que te pedi para o amor da minha vida no ano passado foi paciência, muita. Não sei se te chegaste a esquecer de lhe dar a prenda ou se simplesmente não lhe deste em quantidade suficiente, é que este ano o pedido é o mesmo. Ah e faz-me um favor, ensina-lhe a conseguir desligar do trabalho, é que o homem ultimamente tem vivido para o trabalho e acaba por se esquecer que há uma vida para além disso tudo!

        Para mim, ora... a viagem esfumou-se com a chegada do bicho cujo-nome-não-deve-ser-pronunciado, a casa teve alguns avanços, mas ainda não tem tijolos, pelo menos sorte tive alguma. Consegui encontrar um novo emprego que há muito desejava, com várias vantagens pelo meio. Liguei-me a pessoas que sei que nunca mais sairão da minha vida. Passei muito tempo em casa e a apreciar o slow living como há muito desejava e comi séries como não o fazia há anos. Dediquei-me mais à cozinha e até consegui criar uma rotina de limpezas que me dá mais tempo para fazer o que realmente gosto (mesmo que seja nada). Sei que não concretizaste alguns dos meus desejos, aliás a maioria, sei que 2020 foi um ano assim-assim, mas a verdade é que fui compensada em outras coisas. Eu e os meus tivemos saúde, senti muito amor de amigos e da família, senti saudade o que me fez compreender de quem realmente gosto e tive uma nova mudança na vida, que há muito desejava. Para o próximo ano peço-te duas coisas, ouve bem, duas: saúde e a casa. Não peço assim tanto, aliás, acrescenta aí no fim da lista, trabalho, até porque o meu contrato acaba em Agosto e trabalho é um bem essencial à carteira e à sanidade mental, sim? Quanto à casa está para começar, mas dá-me alguma força para que corra tudo bem, sem grandes derrapagens e com o timing desejado (se calhar até já estou a pedir demasiado).

       E obrigada, obrigada por me teres dado alguma da tranquilidade que pedi em 2019, acredita que me soube muito bem! Agora, desejo muito que 2021 seja um melhor ano para o Mundo e para todos nós, nisso podes atirar os teus pauzinhos de perlim-pim-pim para ajudar, todos te ficamos agradecidos!

        Bom Natal e muitos docinhos!

19
Fev20

5 anos depois, voltamos a estar aqui...

          Já cinco anos passaram desde a última vez que decidi enviar uma carta para o meu Futuro Eu. Na segunda-feira, no dia em que completei 29 anos, recebi as palavras que escrevi em 2015. É uma espécie de sensação surreal, ler algo com tanto tempo, com tantas perguntas e dirigido à minha pessoa. Vejo que o tempo me trouxe algumas respostas, muitas concretizações, mas foi ao ler a carta que escrevi a mim própria em 2015 que me apercebo de tudo o que alcancei. O tempo passou rápido, demasiado rápido, e vejo quanto tudo mudou e quanto consegui concretizar.

      "Mas e que é feito de ti? Se há cinco anos atrás pretendias acabar o curso, que pretendes tu daqui a cinco anos? Será que te casaste com o Ele, como planeavas? E a casa? Ficaste com a da tua avó, ou tiveste mesmo de fazer obras na casa dele? Filhos? Tens conseguido escapar-te disso? E o trabalho? Conseguiste alguma vez trabalhar numa escola como querias, ou ainda andas de clínica em clínica e gabinete em gabinete? E o mestrado? Ainda andas a adiar esse objectivo por causa das condições financeiras? Viagens, quantas fizeste? A última que fizeste foi a Madrid em 2014. Diz-me apenas que saíste de casa e que te casaste, diz-me apenas isso e já me dou por feliz."

          A vida mudou realmente nos últimos cinco anos, coisas que nem eu sabia que estavam tão bem definidas na minha cabeça foram alcançadas e outras totalmente alteradas. Casei-me com Ele, não fiquei com a casa da minha avó mas em alternativa compramos um terreno e não fizemos obras na casa da mãe d'Ele. Filhos, ainda me consigo escapar (não com tanta facilidade, mas consigo) e sim, consegui trabalhar em escolas, tal como sempre desejei. Passei alguns tormentos antes, mas estou nas escolas como há cinco anos achava que não era possível. O mestrado continua a ser indefinidamente adiado, mas pelo menos já visitei a França, Holanda, México e Marrocos! Saí de casa e estou casada, por isso alcancei dois dos meus grandes objectivos nos últimos cinco anos.

      "Agora estás completamente apaixonada por Ele e só queres passar todo o tempo com ele, não o admites facilmente, mas realmente não consegues imaginar uma vida sem ele de tanto que é o teu amor por ele. " E nada disso mudou, continuo a não o admitir com leveza, mas continuo sem imaginar a minha vida sem Ele e entre nós nada e tudo mudou, mas tudo para melhor.

        "E os teus irmãos? Já te deram mais sobrinhos? De momento tens três, que daqui a 5 anos devem estar enormes! E ainda tens o Polo de 98? E o computador? É aquele branquinho do ano em que começaste a trabalhar em Gaia? A M. já tem mais que um filho? Que estranho que é ter estes pensamentos agora… E amigos? Com quem convives mais agora? É ainda a S. e a R., ou ainda estás mais isolada do que neste momento?" Continuo a ter três sobrinhos e estão realmente enormes. O Polinho de 98 continua e que dure muito tempo! E sim, o computador continua a ser o Branquinho e a M. já tem mais um bebé. A S. saiu da minha vida desde o dia em que não foi ao meu casamento e a R. continua na minha vida, mas com menos frequência do que gostava. As coisas alteraram, os grupos de amigos foi-se alterando gradualmente, sem dramas, mas a vida proporcionou essas transformações.

        "Espero que continues a apreciar as pequenas coisas como o tens feito até agora, acredita que é isso que não te deixa ir a baixo em momentos difíceis e que te traz felicidade (isso e Ele, claro!). Não te alteres por ninguém, cresce mas sempre para melhor." E continuei, nem sempre foi fácil, mas aprendi ainda mais a gostar das coisas simples e dos momentos para mim mesma. Cresci, imenso, e sinto-me orgulhosa por isso. Estes cinco anos passaram a voar, tanta coisa se transformou, tantos sítios por onde passei e tantas pessoas que entraram e sairam da minha vida. Mas sorrio, imenso, a estes últimos cinco anos e ao ler esta carta, apercebi-me que conquistei tanta coisa que desejava e nem me tinha apercebido disso. Pelo menos até hoje. Hoje estou grata por esta carta.

P.S.: A última carta que recebi foi em 2015 e aqui está ela.

19
Dez19

Querido Pai Natal,

        Querido Pai Natal,

      Este ano tenho um bocadinho de vontade de te bater. Deste-me a volta e em 2019 não me deste coisas muito boas, bem pelo contrário. Sei que também terminei o último ano sem pedir muita coisa, mas por isso mesmo esperava que me surpreendesses com coisas boas! É verdade que tive algumas coisinhas boas, mas tive tantas más, senti-me em baixo durante tanto tempo que sinto que 2019 foi um ano em que me senti 'atropelada', não literalmente, mas quase. Pedi-te ajuda para começar a minha casa e onde está ela? Ainda em papel e quase a caducar a fase de arquitectura na Câmara porque os engenheiros não se decidem a terminar o documento. Pedi-te para me ajudar a poupar, mas as despesas em casos e gasóleo triplicaram (não precisava de ser assim, pois não, Pai Natal?)! Por isso, aonde esteve a tua bondade para comigo? Sinto que foste injusto, logo eu que tenho lutado por ser uma melhor pessoa! Mas pronto, pretendo deixar 2019 para trás, virar a página e esquecer o peso que trouxe nos ombros ao longo deste ano. Agora vê lá se consegues ser mais meu amiguinho no próximo ano, sim?

         Com os meus sobrinhos até que foste meiguinho, o D. mais velho aprendeu a escrever (caramba, como é que o tempo passou tão rápido?) e apesar de achar que andar na escola é muito cansativo, está a gostar bastante. O D. do meio continua sem apreciar muito a escola, mas lá vai indo e desenvolveu imenso no último ano! Assim como o D. mais novo, está tão despachado que até é algo assustador. Para o Natal? Dá-lhes muita saúde, muitos passeios que eles adoram e até muitas brincadeiras. Adoro vê-los juntos, por isso também podes dar-lhes mais momentos na companhia uns dos outros em 2020!

        Para os meus pais foi um bom ano, tirando para a mãezinha que teve ali um dramazinho pelo meio, mas que já passou. Tiveram a sorte de ver a minha mãe reformar-se, tiveram bem de saúde e finalmente conseguiram estabilizar as contas, o que (acredites ou não) é algo maravilhoso! Para a mãe peço-te apenas que a ensines a estar quieta mais que 15 minutos, a mulher precisa de aprender a descansar e de que já não há necessidade de estar sempre a correr! Para o paizinho trás-lhe a reforma, está quase e ele anda desejoso!

         Para os meus manos? Apesar dos azares que a minha irmã teve este ano, com casas que não comprou, com carros que pifaram e até com electrodomésticos, ela pelo menos terminou o ano com um apartamento em nome dela. A sua primeira casa e a um preço bem chorudo, o que é uma excelente coisa para tudo aquilo que ela teve de compensar ao longo do ano. Para o próximo ano dá-lhe mais paciência e uma boa viagem que ela anda a merecer. Já o mano? Acho que está bem assim, continua a dar-lhes as coisinhas boas que ele merece.

       Para o homem da minha vida? Dá-lhe paciência, a que lhe deste no ano passado não foi suficiente e ele precisa de uma dose extra este ano. Dá-lhe juizinho para trabalhar menos para quem pouco lhe agradece e já agora sorte, aliás, isso é para os dois. Mas não te esqueças de o incluir nesse desejo.

        E eu também tenho dois, vá, três pedidos para ti. 1º Por favor, faz com que esta coisa da casa comece a andar, queremos começar a planear outras coisas na nossa vida e é impossível sem darmos início a este nosso projeto. 2º dá-me sorte, caramba, acho que até sou uma boa menina e mereço! Preciso que este ano me dês mais sorte, mais tranquilidade e menos problemas à minha volta. Necessito, desesperadamente, que 2020 seja um ano mais calmo e mais focado em mim mesma em vez de nos problemas dos outros. 3º uma viagenzinha aí por uma cidade europeia vinha mesmo a calhar, sinto-me a ressacar de já não viajar pela Europa há algum tempo e sinto mesmo essa necessidade. Baixa aí os preços dos voos directos para Roma a partir do Porto e eu já fico feliz!

        Vá Pai Natal, vê-se 2020 me traz mais felicidade, se me traz aquilo que 2019 não conseguiu. É verdade que ainda assim te tenho de agradecer algumas das pequenas coisas boas que tive ao longo deste ano, agradecer principalmente pelas pessoas que estão na minha vida, pelos momentos de muitos sorrisos e por aqueles momentos que me preenchem o coração, mas os meus desejos passam realmente por um 2020 mais feliz e mais tranquilo!

          Bom Natal!

Inspiração do Mês

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)

Nas páginas de...

2021 Reading Challenge

2021 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal estudoemcasa-mrec