Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

13
Abr21

Muito mais que um beijo

(Imagem retirada daqui)

        Um beijo é muito mais do que um beijo. 

        Um beijo é mais que um cumprimento, é a familiaridade de alguém.

      Um beijo é a representação de uma amizade, de um momento, de uma ligação mais profunda do que um cumprimento de mãos (pelo menos deveria ser).

        Um beijo é muito mais do que dois lábios que se tocam, é uma explosão de sentimentos, de borboletas.

        Um beijo é paixão, é ardência, é desejo. É um simples aconchegar no momento certo, um simples carinho para dizer 'eu amo-te'.

        Um beijo é muito mais do que um beijo na bochecha, é um 'eu cuido de ti', 'estou aqui'.

        Um beijo é o início de um novo mundo, de novas sensações, de novas histórias. Ou simplesmente um regresso a casa.

      Um beijo é todo um amor, um amor de pai, mãe, avó, tio, tia, é uma amor de todas as espécies e feitios e nenhum tem de ser o amor romântico.

        Um beijo é muito mais do que duas pessoas, é o momento de uma só, da união, da ligação.

        Um beijo é muito mais complexo do que um simples beijo.

08
Abr21

Do Minimalismo ao Slow Living e à Yoga

(Imagem retirada daqui)

        Nos últimos anos existe uma enorme procura sobre um estilo de vida mais saudável. A correria do dia-a-dia, o stress do trabalho, o trânsito, a pressão social, tudo isso faz chegar a um ponto em que o nosso maior desejo é conseguirmos abstrair-nos de todas as energias negativas que estão lá fora. Todos procuramos um equilíbrio entre os vários campos da nossa vida e todos procuramos o caminho certo para nos sentirmos melhor. Há uns anos enveredei numa pesquisa intensiva sobre o Minimalismo, e encontrei nas experiências dos outros o desejo de alcançar uma tranquilidade sem tanto materialismo e ao longo dos anos tenho vindo a aprender a largar as coisas físicas com maior facilidade, a ser mais contida nas minhas compras e até bem mais ponderada sobre o que compro. A mim o Minimalismo foi sei dúvida um virar da página quando mais precisava, uma conquista para mim mesma e para mudar o meu mindset em relação às coisas, aos meus objectivos e até à minha vida social. Encontrei no Minimalismo uma espécie de paz que recorre ao interior e exterior para o equilíbrio, muito mais do contar as minhas posses o Minimalismo proporcionou-me uma mudança de mentalidade e de forma de ver a vida. 

        Ao longo dos anos o Minimalismo esteve sempre no meu vocabulário (nem sabia que já se tinham passados tantos anos!), mas a verdade é que novos conceitos foram surgindo, como o Slow Living e a minha vontade em ter uma vida menos 'corrida' manifestou-se de forma bastante evidente. Recomecei a minha investigação, voltei a mudar prioridades e até voltei a mudar os objectivos de vida de forma a conseguir sentir na minha vida diária esta espécie de Slow Living. Este é um conceito que nos incentiva a aproveitar todos os momentos do dia, que nos obrigada a diminuir o acelerador e que nos faz desejar por dias mais calmos e mais lentos. Se consigo seguir este estilo de vida, tão adepto dos nórdicos? Não, nem lá perto, mas há momentos da vida em que o tenho conseguido fazer e sabe-me tão bem, sabe tão bem estar longe de estímulos que nos fazem acelerar o passo, que nos fazem correr a todo o momento e parar é essencial, à mente, ao corpo e à nossa visão da vida.

         E com tantas pesquisas ainda fui dar à temática do Zero Desperdício, algo que diariamente estou a tornar-me mais consciente, que tento implementar na minha casa. É uma questão de Minimalismo, é uma questão de Slow Living, mas também uma questão de ajudar o planeta e deixar uma casa melhor do que a que encontramos. Mais do que um estilo de vida é uma obrigação enquanto cidadã e ser vivo deste planeta. Se faço tudo o que deveria fazer? Infelizmente ainda não, mas tenho vindo a mudar os meus hábitos e todos temos de começar por algum lado. 

         E ao ler sobre todas estas temáticas, ao ver todos os blogs e pessoas reais que seguiam alguns destes idealismos ainda descobri a Yoga, onde ainda sou uma pequena semente mas que tem vindo a crescer com curiosidade, interesse e com uma sensação de pleno equilíbrio entre a saúde e a mente. Com mais mil informações sobre uma boa qualidade de vida e com a ambição de um equilíbrio emocional e físico para viver estes tempos loucos que nos rodeiam. Ainda investi mais no Vegetarianismo com todos estes conceitos e estilos de vida, ainda invisto em mudar a minha alimentação e em melhorar a minha pegada neste planeta. E agora que também decidi pesquisar sobre a Medicina Ayurvédica e que me tem dado algum gosto de ler sobre isso?

         E toda esta conversa porquê? Porque me tenho apercebido do crescente número de pessoas, onde me encontro incluída, que procura formas de encontrar o seu equilíbrio. Não importa a área ou o conceito que tentamos desenvolver, o que importa é conseguir encontrar aquilo que se adequa às nossas necessidades, ao nosso modo de vida e até aos nossos objectivos. Não é necessário escolher uma destas temáticas e dedicarmo-nos apenas a ela, a verdade é que tudo isto, todos estes conceitos, todos estes idealismos têm o mesmo objectivo e acabam por estarem todos relacionados, todos proclamam que nos trarão o equilíbrio que tanto desejamos. Mas a verdade, é que o nosso equilíbrio pessoal poderá estar entre todos eles e é assim que me sinto. Sigo as 'regras base' do Minimalismo no meu dia-a-dia, faço de tudo para diminuir o meu lixo, tento o mais que posso aproveitar o conceito do Slow Living e encontrei na Yoga o meu equilíbrio entre o bem estar físico e o emocional. Se sigo todas as regras de cada um deles? Não, nenhum se consegue encaixar nos meus objectivos de forma plena, mas em todos eles conseguir retirar o necessário para me sentir bem e acho que isso é o essencial. Todos desejamos melhorar o nosso estilo de vida, apenas basta focarmo-nos no que realmente importa e encontrar o nosso equilibrio, seja ele qual for.

01
Abr21

Será Abril um a espécie de Déjà-vu?

(Imagem retirada daqui)

        Começo o mês de Abril com a sensação de déjà-vu, mais uma Páscoa sem reunir a família, mais um fim-de-semana em que não se pode ir a lado nenhum e mais uns dias de descanso que pouco dão para descansar, porque há sempre imensa coisa para fazer no trabalho. Estou com a sensação que o ano de 2020 se tem prolongado no tempo e que são poucas as diferenças notórias entre um ano e outro. Nos últimos tempos tenho pensado em quando regressará as nossas vidas ao normal e começo a considerar que tal coisa não irá acontecer tão cedo, o que me entristece o coração, pois sinto imensa falta de estar com os amigos e com a família que gosto. A grande diferença entre Abril de 2020 e 2021 é realmente o grau de saudade que está presente. Mas Abril chega e por muito que tenha esta estranha sensação de estar a reviver os dias, a verdade é que o sol trouxe alguma alegria aos dias e a rotina das escolas, apesar de ser bastante cansativa, é algo que ajuda a estabilizar a minha sanidade mental.

       Quanto a Março? Hummm... Os objectivos ficaram perdidos pelo caminho e acho que não cumpri nenhum deles. Foi um mês bastante cansativo com tantas alterações de horários, com tanto trabalho para fazer e a verdade? Sem motivação suficiente para fazer outras tantas coisas. Acabei por em Março me deixar entregar à procrastinação e pouco me mexi para fazer o que fosse, a não ser as coisas essenciais da rotina diária. Março trouxe consigo uma incrível preguiça de fazer o que fosse, trouxe um excesso de trabalho e o cansaço habitual do final de período. Março trouxe também algumas preocupações que estão implantadas no meu subconsciente e com as quais ainda não conseguir lidar, disseminar e guardar devidamente no seu devido lugar, o que acredito que me ande a deixar mais cansada do que o habitual. E os objectivos?

           - Ler 30 minutos por dia, nem lá perto. Li mais um bocadinho com a mudança de livro, mas ainda assim não foi o desejado, a preguiça, a televisão e até o telemóvel usufruíram demasiado da minha atenção.

          - Manter a yoga 2 vezes por semana, consegui manter durante 3 semanas, uma delas nem sequer pratiquei yoga ou outro tipo de exercício qualquer, contudo este mês voltei a fazer mais caminhadas o que até foi bastante agradável com o sol.

          - Ligar a uma amiga para pôr a conversa em dia, notícias boas trazem a necessidade de ligar a amigos, e as saudades que eu tenho de uma boa conversa cara a cara?

           - Enviar os livros os correio, nem lá perto, nem me fui informar aos correios de como o fazer com o menor custo possível.

           - Fins-de-semana sem redes sociais, ZERO. Inicialmente foi por esquecimento, depois por pura preguiça e aborrecimento por Ele passar os dias a trabalhar.

         Tendo sido Março um verdadeiro fiasco para os meus objectivos irei mantê-los para o mês de Abril e espero que esta preguiça, esta desmotivação interna pelos dias serem todos iguais comece a dissipar-se e que a energia seja renovada. Venha daí Abril com mais energia!

Inspiração do Mês

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)

Nas páginas de...

2021 Reading Challenge

2021 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal estudoemcasa-mrec