Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

28
Ago19

Mudar a alimentação não é fácil!

(Imagem retirada daqui)

         Ao longo dos anos fui considerando que tinha uma alimentação saudável, no último ano tenho a verdadeira percepção de que melhorei a minha alimentação, criando a percepção de uma falsa ideia quanto à minha antiga alimentação. Introduzi mais legumes do que aquilo que estava habituada na casa da minha mãe, com excepção do verão, comemos várias vezes sopa, aumentei o número de peças de fruta que como por dia e habituei-me a beber mais de 1,5l de água por dia. Tenho a perfeita noção de que os meus lanches são mais saudáveis, que a minha cozinha é um local com bastante variedade de legumes e frutas e até que os meus snacks hoje em dia não são só bolachas. Contudo, com estas questões da ecologia tenho-me apercebido que um dos grandes problemas é realmente o consumo de carne. Eu já tento evitar pensar no conteúdo químico que as carnes que ingiro contêm, mas para acrescentar a esta grande problemática veio o impacto que a produção de carne tem no meio ambiente. Admito que é bastante assustador aperceber-me dessa situação de algo que consumo, não diariamente, mas quase. Cada passo que dou, parece que me defronto com novas necessidades de mudança para com o nosso planeta.

          Sinceramente, não me imagino a viver sem carne, mas principalmente sem peixe. Cá em casa privilegiamos as carnes brancas, além de serem uma questão de preferência são também uma escolha devido a terem o menor de malefícios possíveis, mesmo sabendo que nunca serão 100% saudáveis. Sem peixe então, definitivamente não viveria, mas a verdade é que quero tentar implementar um dia de comida vegetariana por semana na nossa casa. Não é fácil para quem desconhece esse mundo e acha sempre que irá sentir falta da carne ou do peixe, contudo tenho tentado fazer esse esforço, já não é apenas por uma questão de ser mais ou menos saudável, mas para tentar diminuir a pegada ecológica da nossa família. Tenho-me tornado cada vez mais consciente da necessidade de mudar hábitos em prol do ambiente, mas nem sempre é fácil. Há tempos queria fazer bolachas, sumos e todo o tipo de afins a partir da Yammi 2 para diminuir o consumo de produtos artificiais, mas esqueci-me de que o tempo é um requisito necessário para essas tarefas e fui compreendo da impossibilidade de tal coisa acontecer. Hoje opto por ler mais rótulos e optar por coisas mais naturais, as bolachas (tirando as d'Ele) diminuíram drasticamente e tenho-as substituído por frutos secos ou por um iogurte a meio da manhã. Água tem sido uma preferência, exceptuando em festas, e no último mês tenho conseguido fazer pelo menos uma refeição vegetariana por semana, não que Ele aprecie muito, mas pelo menos os hambúrgueres de feijão preto valeram a pena. 

          Admito que mudar a alimentação tem sido bastante difícil, principalmente na compra dos produtos, no entanto tenho feito o esforço para conseguir diminuir a minha pegada ecológica e ainda assim alimentar-me de forma económica e saudável. Vocês tinham noção desta realidade assustadora?

 

 

15
Fev18

Missão: 100% Português

(Imagem retirada daqui)

 

       Quem por estes lados pára para ver os rótulos?

       Quem por estes lados já parou para pensar em quantos produtos portugueses tem realmente em casa?

      Eu acuso-me, nunca fiz nenhuma das duas coisas. Raramente sei de onde vêm os produtos que compro, seja comida, roupa ou objectos de dia-a-dia. Se sei de onde vieram é por mera coincidência ou porque dei de caras com a etiqueta e era impossível não ler. Talvez saiba melhor de legumes e carnes, simplesmente porque evito comprar em grandes superfícies. No entanto, desde que vi o primeiro episódio do programa da RTP Missão: 100% Português que tenho avaliado as coisas e os produtos que tenho em casa. Hoje, ao fazer o lanche para o trabalho lá me lembrei de ver de onde vinha a compota de framboesa que utilizo e lá dizia 'Portugal', inconscientemente sorri. Quantos de nós ficaríamos como o Raminhos, sem quase nada em casa, se tivéssemos de ficar exclusivamente com produtos Made in Portugal? Para já ainda me safaria, os móveis da casa dos meus pais são todos feitos em Portugal, os pratos e as panelas também, mas tudo o que é mais recente teria de ir 'viajar' para os seus países de origem. Rara é a peça de roupa que posso dizer que é portuguesa!

      O novo programa da RTP desafiou o Raminhos e a sua família a viverem seis meses com produtos exclusivamente portugueses. À primeira vista a coisa parece muito simples, no entanto, é quando se começa a pensar, a investigar e a verificar as etiquetas de todos os produtos que as coisas correm mal. Admito que quando vou às compras não reparo na origem do produto e que me preocupo mais com a relação qualidade/preço, do que com a origem. No entanto, pensando bem no assunto, é um erro crasso, primeiro porque estou a aumentar a minha pegada ecológica devido ao transporte dos produtos, como também não estou a ajudar a economia nacional. É verdade que grande parte dos produtos Made in Portugal são mais caros, nomeadamente calçado e roupa, até móveis (bendito IKEA!), contudo a nível alimentar há imensos produtos com preços competitivos e basta estar mais atenta aos rótulos para perceber isso e se poder optar por produtos portugueses. Sabiam que até já há uma marca de telemóvel portuguesa e que não é tão cara quanto isso (isto para quem dá mais de 200€ por telemóveis, o que não é o meu caso)

       Adorei o conceito deste novo programa da RTP, mais um programa para aumentar o nível de consciencialização da importância de mudança de hábitos. Mais um programa que me faz reflectir sobre os meus hábitos, sobre o meu consumo e o quanto preciso ainda de mudar. Um excelente programa para promover os produtos portugueses, porque nem tudo o que vem de lá de fora é bom. Uma óptima iniciativa para ficar a conhecer as nossas qualidades. Com certeza que irei acompanhar esta saga do Raminhos e sinceramente estou bastante curiosa, principalmente para saber onde e como irá adquirir alguns produtos que desapareceram da sua casa. Prometo que a partir de agora, sempre que o preço for justo (sim, porque por muito que queira comprar produtos portugueses continuo a ter de me cingir a um orçamento um tanto ou quanto rigoroso) optarei por produtos portugueses.

        E vocês, são 100% portugueses ou apenas 4,5% como o Raminhos? (Penso que estarei na percentagem dos 30-40%, mas isto porque ainda vivo com os meus pais, senão seria uma desgraça!).

12
Fev18

Desperdício Zero: O que já faço

(Imagem retirada daqui)

 

     No mês passado falei-vos da minha vontade de mudar os meus hábitos ao nível de produção do lixo. O movimento Desperdício Zero tem despertado em mim a consciência para uma realidade que me parecia muito distante, mas ao acompanha um grupo do Facebook e alguns blogs tenho aprendido que ainda há imensa coisa para mudar em mim e nos meus hábitos. No entanto, antes de começar essa mudança, em conversa com uma amiga que desde que foi mãe deixou o minimalismo entrar e agora o desperdício zero, compreendi que realmente já faço algumas coisas para melhorar um bocadinho o nosso mundo. Inconscientemente, já tinha em mim alguns hábitos, não só de poupança, mas de diminuição de produção de lixo. Nomeadamente:

    - Já há muitos anos que a reciclagem é um ponto obrigatório na nossa casa. Não foi fácil deixar entrar, principalmente para os meus pais, mas neste momento a reciclagem é um hábito adquirido.

     - Recusar sacos de plástico, admito que só o comecei a fazer desde que os sacos começaram a ter custo. No entanto, ando sempre com um saco de pano na carteira e utilizo-o em todas as lojas que não oferecem os sacos. Quando os oferecem reutilizo em casa para os baldes do lixo.

     - Compostagem, os meus pais sempre tiveram um jardim e um campo, assim sendo lembro-me de fazer a compostagem desde criança. 

     - Usamos desde sempre guardanapos de pano, só quando temos visitas utilizamos os de papel. Quando sugeri isto a Ele para a nossa casa Ele achou ridículo e ainda não o consegui fazer mudar de ideias, ajuda precisa-se!

     - Aproveito ao máximo todos os produtos que venham em embalagens, não só por causa do meio ambiente, mas para conseguir poupar mais uns trocos. É hábito ver-se na casa de banho um ou outro produto cortado para conseguir ser aproveitado até à última gota.

     

     Se virmos bem, pouca coisa fazia. Mas foi esta reflexão que me ajudou a mudar de hábitos, pequenos, quase insignificantes, mas a verdade é que agora estou mais atenta ao que compro ao que faço e sei que quero dar mais passos para melhorar o mundo há minha volta. O que mudei e o que quero ainda mudar?

      - Deixei de tirar os talões no MB, se quero ver saldos vejo no telemóvel, se quero levantar dinheiro não peço talão e até evito fazer pagamentos em multibanco para não ficar com talão.

      - Quero imenso começar a evitar os sacos de papel. Quando vamos às compras de roupa, estas costumam vir em sacos de papel, queria ver se começava a dizer que não era preciso, afinal tenho sempre comigo na carteira o saco de pano.

     - Sem dúvida alguma que estou mais atenta aos ingredientes de produtos de limpeza e de higiene. Já consegui mudar algumas coisas, creme da cara, champô, limpeza intima e até o desodorizante já foram alterados para produtos feitos com ingredientes naturais e tenho tido excelentes resultados. Estou até ansiosa por encomendar a minha primeira escova de dentes de Bambu.

      - Deixar as garrafas de plástico de água fora da minha vida. Normalmente compro uma garrafa de água por semana e reencho-a as vezes que forem necessárias ao longo da semana, mas quero encontrar uma alternativa. No entanto, as alternativas ou são pesadas ou não têm a medida que desejo (75cl), porque precisa de caber na carteira e de andar comigo o dia todo.

       - Reciclar as pastilhas do café. Aprendi recentemente que já é possível entregar em loja as pastilhas da máquina Dulce Gusto para serem reutilizadas, preciso mesmo de começar a guardá-las para as reciclar.

       - Lenços de pano, ok, neste ainda estou reticente, contudo ainda tenho lá para casa uns lenços antigos e em bom estado que vou tentar ter na carteira para diminuir a utilização de lenços de papel.

 

       Sei que ainda são passinhos pequeninos, mas estas são as mudanças imediatas que fiz ou que quero fazer na minha vida para promover um mundo melhor e de menos desperdício. Sei que ainda tenho uma longa caminhada, mas quero começar devagar para a mudança não ser temporária, quero tornar cada um destes passos em algo definitivo na minha vida. Não quero ir em modas, quero simplesmente mudar os meus hábitos para me sentir melhor com o mundo e comigo mesma. Quem já abraçou esta causa? Mais alguma sugestão?

Inspiração do Mês

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)

Nas páginas de...

2020 Reading Challenge

2020 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal estudoemcasa-mrec