Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justsmile

23
Out18

Como poupar em casa

(Imagens retiradas daqui)

 

      Viver juntos mudou o nosso sistema de poupanças. Desde que casamos, há pouco mais de três meses, que criar uma rotina de poupanças não tem sido fácil. Tínhamos consciência que tal coisa iria acontecer, os primeiros meses não são propriamente fáceis, não sabemos bem a quantidade de coisas que consumimos, não sabemos bem ainda quantidades e existem sempre compras ou situações que na altura não estavam planeadas (ora o carro, ora um casamento, ora uma ida à farmácia). Sabíamos que os primeiros meses não iriam ajudar às poupanças para a construção da nossa casa, no entanto, este mês (mesmo com o valores que invisto em gasóleo neste momento e com a prenda de aniversário d'Ele) fiquei surpresa com o caminho que temos seguido. Hoje, em momento de consciencialização compreendi que até temos sido muito ponderados nas nossas compras e que temos feito compras inteligentes. Este mês vimos a conta crescer um nadinha (depois do tombo que foi pagar uma pós-graduação) e isso fez-me sorrir. E como temos conseguido poupar?

       - Congelar os legumes, ao sábado costuma ser o dia de comprar legumes. Adoramos legumes e rara é a refeição que não tem legumes, seja no arroz, com a massa, salteados ou simplesmente uma sopa, mas digamos a verdade, legumes não são a coisa mais barata do mundo. Assim, de modo a não estragar e não deixar perder os melhores nutrientes ao sábado compro os legumes necessários e preparo-os para a semana. A quantidade que sei que irá ser confeccionada nos primeiros dias da semana é guardada no frigorífico já lavadinhos e partidinhos, o restante é congelado. Nem que seja meia courgete ou até um pedaço de brócolos, parto, lavo e congelo, assim na próxima sopa ou nos próximos legumes é só tirar do congelador e colocar na panela. Assim, evitamos o desperdício, poupamos na compra de legumes e tornamos toda a tarefa de cozinhar ao longo da semana bem mais rápida e prática.

      - Levar a famosa marmita. Eu, desde o meu primeiro emprego, que levo marmita para o trabalho, mas desde que casamos que Ele decidiu fazer o mesmo. É verdade que precisamos de confeccionar em maior quantidade, é também verdade que temos de aumentar a lista de compras da peixaria, do talho e do supermercado, mas a verdade é que fica mais barato que qualquer refeição fora de casa. Desde que casamos que Ele tem levado o almoço e até o lanche para o trabalho e tem notado que o dinheiro vai mantendo-se mais tempo na carteira.

    - Aproveitar promoções, admito que Ele é mais adepto desta prática que eu. Cada vez que vê um artigo em promoção e que o usamos com regularidade decide trazer dois ou três, sei que nada tem a haver com o minimalismo, mas realmente o maridinho tem razão ao tomar estas decisões. Na hora pode-nos não fazer falta, mas se são coisas que não se estragam e que são utilizadas com regularidade, como produtos de limpeza e alguns alimentos, o ideal é aproveitar as promoções e trazer mais que um artigo para casa.

      - Apontar o valor das coisas que compramos. Quando vamos às compras tenho um pequeno caderno preto que levo comigo onde tenho anotado o preço de alguns produtos, como café, pasta dos dentes, champô e até guardanapos. Neste caderno registo o preço de promoções em que adquiri alguns produtos de forma a compreender se novas promoções realmente compensam ou se não são apenas areia para os olhos. Por exemplo, tenho visto a nossa pasta dos dentes em promoção várias vezes a 2,29€, mas a verdade é que no mercado onde compramos o pão diariamente a mesma pasta dos dentes, sem estar em promoção, custa 1,99€. É uma diferença pequena de preços, mas se nos está facilmente acessível são alguns cêntimos que poupamos sem reparar. Este caderno permite-nos perceber se as promoções são realmente promoções.

      - Serões em casa, não se tem sido pelo aspecto da poupança que ficamos os serões de sábado em casa, seja com amigos ou na companhia um do outro, ou se pelo simples facto de andarmos terrivelmente cansados. Contudo, a verdade é que serões em casa são bastante mais económicos do que qualquer saída, principalmente quando se tem a Netflix como amiga!

       - Confeccionar as próprias refeições. Desde que casamos que só me lembro de termos ido buscar comida fora três vezes, uma para um almoço pós-casamento com amigos, outra para um almoço de família (pois não estou habituada a cozinhar para tanta gente) e a terceira porque era sábado, estávamos ambos cansados e não tínhamos nada descongelado para comer. Tirando isso, todas as nossas refeições têm sido confeccionadas em casa, admito que tiro algum prazer em cozinhar (pelo menos para já) e lingrinhas como sou no que toca ao estômago, a forma mais segura de comer é fazendo a comida em casa.

      São pequenas poupanças, pequenas coisas que no final do mês somadas fazem alguma diferença. Ainda assim acho que há um longo caminho a percorrer, afinal construir uma casa não é coisa barata, mas estou contente por em poucosmeses já começarmos a definir uma estratégia de poupança. Afinal "grão a grão, enche a galinha o papo", certo?

19 comentários

Comentar post

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)
Revista Inominável

Nas páginas de...

2018 Reading Challenge

2018 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal