Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justsmile

30
Mai19

Aceitar o que não podes mudar

(Imagem retirada daqui)

       Quando casei, pensei que o nosso primeiro ano de casamento fosse apenas um ano de adaptação a nós próprios, às nossas coisas, às nossas manias e até rotinas. Pensei que fossemos ter o chamado "período de lua-de-mel" em que pudéssemos concentrar a nossa atenção um no outro, continuarmos a fortalecer a nossa relação que de repente mudou. No meio destas minhas ilusões romantizadas ainda considerei que, após mudar de emprego, seria a altura certa para voltar a estudar, meti-me então numa pós-graduação. Contudo, toda esta ilusão, todo este sonho de quem acha que a vida pode ter alguns tempos tranquilos, durou muito pouco tempo, bastou chegar a casa da lua-de-mel. Desde então que não tivemos nenhum momento de descanso, nenhum momento em que não tivéssemos um problema sobre o nosso colo com o qual tivéssemos de lidar. Desde então que a nossa vida não conseguiu acalmar, criamos uma rotina sobre todas estas loucuras, em cima de todos estes problemas que ainda me consigo admirar de como conseguimos manter a sanidade mental. E sabem o melhor? Todos estes problemas são nos externos, não são problemas intrínsecos, não são propriamente problemas nossos, são problemas que nos relacionam, mas que não estão dependentes de nós para resolução. E isso? Isso é a pior parte. São problemas que nos tiram o sono, que mexem com os nossos sentimentos, mas que não conseguimos fazer valer a nossa opinião e que a decisão final nunca será nossa. 

        O primeiro mês aguenta-se bem, está-se com o coração nas mãos, mas aceita-se que o tempo irá ajudar a resolver a situação e tem-se confiança que a resolução estará para breve. O segundo mês já nos faz questionar mais um pouco, mas a paciência ainda lá está e é ao ver-se algumas melhorias que esperamos que a resolução esteja perto. Ao terceiro mês, quando vemos as coisas a piorarem, as nossas vozes a não serem ouvidas, o corpo a sentir o desgaste extremo das poucas horas de descanso, das preocupações constantes e do trabalho que não tem fim, as forças começam a desvanecer-se. A esperança começa a ser questionada e as lágrimas começam a sair esporadicamente e em silêncio. No início do quarto mês sente-se na pele o desespero de já não saber o que fazer para se ser ouvida, o cansaço já parece entranhado no corpo e a sensação de não se viver parece uma constante na mente. A sensação de estar compenetrada nos problemas surge e torna-se difícil de fazer desaparecer... Até que uma luz surge. O problema mantém-se, o cansaço também, o humor ainda não melhorou de forma significativa e até a rotina de problemas se mantém, mas começa-se a aceitar. E esta semana, cheguei a essa fase, aceitar. Aceitar o que realmente não posso mudar. Como Ele diz, não temos a capacidade de abrir a cabeça de ninguém e lhe incutir juízo, por isso só resta mesmo aceitar. Há poucos dias consegui começar a desligar-me um bocadinho do problema e aceitar que já nada posso fazer, depois de dar voltas e voltas à cabeça, depois de noites sem dormir, refeições sem apetite e a sensação constante de um peso nos ombros, começo finalmente a aceitar. 

       Compreendi que não tenho poderes mágicos, que ao contrário do que gostava de fazer, não consigo mudar o mundo e muito menos alguém. Aceitei que a resolução não está nas minhas mãos, mas nas mãos de outras pessoas e que, em nada, mais posso fazer do que já faço. Aceitei. Aceitar foi a parte mais difícil, porque achamos sempre que podemos fazer mais e melhor, mas por vezes a melhor solução para nós próprios passa apenas por aceitar que nada podemos mudar. Hoje, acredito, que aceitei aquilo que não posso mudar.

15 comentários

Comentar post

Inspiração da Semana

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)
Revista Inominável

Nas páginas de...

2019 Reading Challenge

2019 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal