Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

24
Abr20

Resumo desta quarentena

(Imagem retirada daqui)

      Estou há 42 dias em casa, isolada do contacto social, por mim, pelos meus e pelos teus. E como já desabafei por aqui, esta quarentena não deu para fazer nada daquilo que tinha imaginado, ingenuamente achava que iria ter mais tempo para fazer as coisas que gosto e que até seria capaz de confundir os dias da semana, errado. Continuo a ansiar pelos fins-de-semana, como sempre fiz, e o tempo continua a ser escasso, apesar da rotina já estar bem definida. Contudo, tenho pensado nas coisas que me têm feito bem ao longo desta quarenta, das coisas que mudaram desde o início até agora e até nos pensamentos ou nas coisas que aprendi desde que estou em casa.

 

        Aprendi que:

      - Teletrabalho é muito mais burocrático do que em qualquer outra altura. Trabalho mais do que em qualquer outra altura ou tenho momentos bem mais tediosos que em outra altura. Preciso de autorização para mexer cada perna e isso estraga a minha paciência, apesar de...

      - A ser mais paciente e por causa do teletrabalho. Tive mesmo de aprender a desligar um bocadinho minha ansiedade de avançar e fazer, para poder dar tempo para a obtenção de respostas.

       - É obrigatório fazer pausas em teletrabalho. As primeiras semanas foram de loucos e esquecia-me das pausas, algo que fazia no meu local de trabalho.

       - Basta ver notícias uma vez por dia. Apercebi-me que as notícias me estavam a criar alguma ansiedade e obriguei-me a vê-las apenas uma vez por dia, chega para me manter informada.

 

        Apercebi-me que:

       - Um T1 open-space não é muito prático para teletrabalho, principalmente quando estão dois em casa (pelo menos não é todos os dias).

        - Nunca agradeci tanto o facto de viver na aldeia e de ter uma varanda, acho que se não fosse isso já tinha enlouquecido.

        - Não saio de casa há precisamente 3 semanas, as compras têm todas sido feitas online (livros, comida, farmácia, café), nunca fui tão fã de encomendas online.

        - O blogs de Portugal é agora pago!Eu bem que achava estranho o raking ter desaparecido da barra lateral, mas só esta semana me apercebi do motivo.

 

         E compreendi que as coisas que me fazem bem são:

         - Ler, comecei a ler muito mais, até porque o maridinho está a fazer uma formação online quase todas as noites e aproveito para nesses momentos pôr a minha leitura em dia.

       - Fazer exercício físico e que me tem feito mesmo muito bem, principalmente desde que descobri a app milagrosa da ioga! Aumentei a frequência com que faço exercício e tem-me feito sentir muito bem, o ginásio também continua a mandar-nos exercícios e isso ajuda.

         - Fazer docinhos, mesmo que não seja com a frequência desejada, os docinhos aconchegam-me a alma.

      - Manter alguma rotina, vestir-me, arrumar o quarto e a cozinha, esticar-me, continuar a beber muita água, apanhar um bocadinho de sol na hora de almoço são coisas que ajudam a manter a minha sanidade mental.

        - Netflix, bendita Netflix! É a nossa companhia dos fins-de-semana e se não fosse ela já tínhamos ficado loucos de estarmos em casa.

 

        E apesar de ás vezes me sentir saturada, cansada de todo este isolamento e de estar cheia de saudades dos meus sobrinhos e até dos meus amigos, lembro-me que tenho de estar grata por todos os meus familiares estarem bem. Que todo este sacríficio vale a pena, pela saúde de todos nós e que tudo irá passar. Tudo tem um fim, certo?

17
Abr20

Renovar energias em quarentena

(Imagem retirada daqui)

         Estou em casa há precisamente 35 dias. Esta tem sido, definitivamente, a pior semana. As incertezas do trabalho, as limitações que nos estão a dar, a falta de autonomia que temos neste tipo de trabalho tem-me deixado ansiosa. Frustrada por não ver as coisas acontecerem, mas principalmente cansada deste processo. A chuva nos últimos dias não tem vindo a ajudar em nada, já não consigo ir à varanda espreguiçar-me ou simplesmente apanhar uns raios de sol para me alegrar o dia. Além disso, nem para ir às compras tenho saído nas últimas três semanas, optando por compras online e até ambulante para comprar a fruta e os vegetais mais frescos (vantagens da terrinha). Tenho andado bem, a fazer exercício três vezes por semana (mais do que até o meu hábito normal), encontrei finalmente uma aplicação de ioga gratuita e até tenho lido mais e visto mais séries, o que me faz não ficar incomodada com o facto de estar em casa. No entanto, estas questões do trabalho têm-me deixado 'com uma pedra no sapato'. Desgastam-me estas pequenas e absurdas coisas, sentir que passo o dia em frente a um computador, sem ser realmente produtiva tem-me deixado um tanto ou quanto tensa. Não gosto desta sensação de impotência, de sentir que as coisas não se desenvolvem só porque 'sim'. No final do dia de trabalho tento desligar-me e dedicar-me a todos os meus hobbies preferidos, cozinhar uma boa refeição e aproveitar a água quente do banho, mas admito que o trabalho esta semana mexeu muito com o meu humor e com a minha boa disposição dos últimos tempos.

        Esta tem sido uma semana difícil, mais curta que as outras, mas fiquei com a sensação que foi mais longa que qualquer uma delas até ao dia de hoje. Que a próxima semana venha mais positiva e que continue a fazer todas estas pequenas coisas para voltar ao meu estado normal, nestes tempos tão anormais.

         E vocês como estão desse lado?

07
Abr20

Viver num T1 em modo Quarentena

(Imagem retirada daqui)

         A quarentena tem sido um verdadeiro desafio por estes lados, continuo a não me importar de estar em casa, mas trabalhar em casa já começa a ser outra coisa. O trabalho continua de loucos, a quererem as coisas para ontem e de preferência com a papinha toda feita (coisa que me irrita profundamente), mas esse nem tem sido o drama maior. O drama mesmo é quando estamos dois em teletrabalho (ainda bem que isso só Lhe acontece duas vezes por semana) numa sala/cozinha open-space e só com mais uma divisão na casa, um quarto minúsculo em que só cabe a cama e a cómoda. Este sim, é o verdadeiro drama, principalmente quando se iniciam as sagas das videochamadas para realizar reuniões. Ora sou eu a ter de calar o micro porque o maridinho está numa chamada importante, ora é Ele a ser chamado à atenção para falar mais baixo. A logística da coisa torna-se um bocadinho complicada, admito. Eu apoderei-me do sofá e desmonto a tenda todos os dias depois das 17h30, Ele aproveitou-se da mesa da cozinha e deixa as coisas até ser hora de jantar e termos de arranjar um espacinho para podermos comer. Quando estou em videochamadas vejo alguém a passar atrás de mim através da câmara e quando tento falar com Ele, nunca sei se está em chamada ou não.

         Para colocar a cereja no topo do bolo, Ele está a ter aulas online três dias por semana das 18h30 às 23h00, sendo assim o jantar tem de ser feito logo após o trabalho para poder ligar o exaustor sem o incomodar durante as aulas. O jantar fica a arrefecer e quando tem a sua pausa, lá procuramos um cantinho na mesa para jantar, até lá fico estatelada no sofá a ver séries ou a pôr a leitura em dia. Admito que neste momento gostava de ter uma casa um bocadinho maior, pois a logística tem sido uma das coisas mais desafiantes dos últimos dias, mas cá nos temos arranjado e a sanidade mental ainda parece estar presente. E a vossa, como anda?

Inspiração do Mês

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)

Nas páginas de...

2020 Reading Challenge

2020 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal estudoemcasa-mrec