Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

14
Ago17

B - Bebida preferida durante a leitura

 Bebida preferida durante a leitura

Se for Inverno, um daqueles dias frios e chuvosos, que só se lê o livro com uma manta nas pernas, a melhor bebida a acompanhar a leitura é definitivamente o chá. Chá de menta, de frutos vermelhos ou de maçã e canela, tanto faz, desde que seja quentinho.

Se for verão uma caipirinha ou uma Somersby caiem mesmo bem para molhar a palavra.

 

Por 26 dias, eu, Magda PaisMaria João CovasSofia GonçalvesMulaAlexandraDrama QueenCaracolGorduchitaB♥Sandra.wink.winkFátima BentoHappyCarla B. e Princesa Sofia respondemos a 26 perguntas sobre livros, tendo como mote o alfabeto. Às segundas, quartas e sextas, às 14h, não se esqueçam de cuscar as nossas respostas, em cada um dos blogs. Ou consultem aqui todos os posts publicados no Sapoblogs com esta tag (não consigo colocar aqui as tags da blogspot).

14
Ago17

5 blogs sobre Minimalismo

Tenho-me vindo a tornar numa entusiasta sobre o Minimalisto. Adoro o conceito, adoro a leveza que nos traz e aos poucos tenho tentado implementar mais conceitos do Minimalismo no meu dia-a-dia. Tenho tentado relativizar as coisas (apesar de nem sempre ser possível), tenho tentado eliminar as energias negativas da minha vida e tenho tentado destralhar-me de coisas que são desnecessárias, seja pessoal como socialmente. Tenho cada vez mais abraçado este conceito como uma mudança na minha vida, uma vontade enorme de mudar. Uma vontade de aproveitar a breve mudança da minha vida e incluir o Minimalismo na mesma. Comecei então a ler blogs e blogs sobre pessoas que iniciaram o seu percurso no Minimalismo e como as suas vidas se transformaram.

Sem Título.png

De certa forma considero que a pessoa que me começou a aguçar a curiosidade quanto ao Minimalismo foi a Cláudia Oliveira, de uma forma inconsciente já praticava muitas das coisas que ela referia e foi com ela que fui tomando consciência do meu espírito Minimalista. A sua vontade de melhorar, de crescer e de diminuir os bens materiais levou-me a procurar mais sobre o assunto. Levou-me a querer ler mais, saber mais, para continuar a motivar-me para este conceito de 'vivermos com menos'. A sua experiência deu-me cada vez mais vontade de começar este caminho.

 

 

 

Thrive or Survive foi uma das descobertas do Pinterest. Um blog de um casal que abraçou o Minimalismo de uma forma pouco extremista, mas que dá imensas dicas de poupanças, de organização e de como se ser feliz sem gastar muito. Há desde sugestões para encontros românticos até a pequenas refeições práticas. É um site que me inspira a deixar a televisão de lado, a pegar na manta e no livro e a ir para o parque aproveitar a natureza. 

 

A Gypsy Soul não só fala no conceito de Minimalismo como um prolongamento da qualidade de vida, como nos leva para a sua casa e nos ensina truques de decoração para manter uma casa organizada, limpa e de simples manutenção. Desde a sala à cozinha, ela ensina-nos a vivermos com menos móveis, menos tralhas que as necessárias. Dá ainda dicas de poupanças e de produtos de beleza que poderemos fazer em casa. Não é tanto um blog espiritual, mas um blog prático, de bom acesso e com boas informações que poderão ajudar os principiantes neste mundo como eu.

Sem Título.png

 

A Nadine Rebecca é uma das bloggers sobre Minimalismo com as quais mais me identifico. Mantém uma vida simples mas não se separou de tudo o que lhe era material. Fez uma selecção, mas não deixou a casa apenas branca e sem móveis, fez um percurso simples, mas foi ao alterar alguns hábitos que encaminhou neste conceito. Nadine partilha a sua experiência, dá algumas dicas, é nela que encontro a inspiração para o estilo de vida que pretendo alcançar. Um estilo de vida leve, confortável e sem extremos. É um blog mais pessoal, mais sentimental, mas que me levou a pensar em como quero alcançar este estilo de vida leve.

Sem Título.png

Este foi um dos primeiros blogs que li sobre o Minimalismo e fiquei desde logo apaixonada. A Welder's Wife conta a sua história pelo Minimalismo e como teve de o fazer pela sua saúde. A Erin mostra as dificuldades que tinha em viver com o stress e conta-nos a sua história de como o tem tentado diminuir ao longo do tempo. Não é uma história perfeita de que sempre consegue concretizar ao que se propõe, mas uma história real em que partilha as suas dificuldades em modificar alguns hábitos menos positivos. Partilha dicas, fala sobre outros blogs que também seguem o Minimalismo, mas é a parte mais real de si que mais me impressionou. É esta caminhada que tem altos e baixos que mais me agarrou ao seu blog.

 

Estes são os cinco blogs que mais sigo sobre o Minimalismo, em Portugal não encontrei ainda algo com que me identificasse a não ser a Cláudia. Não sou o tipo de pessoa que quer viver sem electricidade e a cuidar dos animais, quero simplesmente melhorar a minha qualidade de vida e livrar-me daquilo que não me preenche de forma positiva. Quero conseguir tempo para mim, para as coisas que gosto e ainda poupar para conseguir atingir determinados objectivos.

A minha viagem pelo Minimalismo está apenas a começar, mas de certeza que ainda vai ser uma longa caminhada.

11
Ago17

Destralhar a vida social

(Imagem retirada daqui)

 

Numa altura em que ando a simplificar, limpar e clarificar a minha vida decidi que também deveria organizar a minha lista social. Ora se fazia uma selecção da minha roupa, dos meus pertences e até das minhas memórias porque não o fazer da minha lista telefónica e até da minha página do Facebook? Se ando a tentar tornar a minha vida um bocadinho mais minimalista porque não também passar para a parte social?

Fiz-me de forte e comecei pelo telemóvel. Coloquei em prática os critérios que já tinha utilizado para seleccionar as minhas roupas, mas de forma adaptada:

 

1. Conheço o contacto?

2. Usei no último ano, dois anos?

3. É-me importante manter o contacto?

4. Poderá vir a ser-me útil?

5. É um contacto de serviços?

 

Foram cinco critérios muito simples que me levaram a limpar dezenas de contactos da minha lista do telemóvel. De uma forma ridícula deixei acumular durante anos contactos no telemóvel, a lista já ia bem acima dos 200 contactos. Contactos que certamente um dia me tinham sido úteis. Contactos de pessoas com quem já convivi e que me foram próximas. Contactos até de profissionais de que usufrui dos seus serviços ou até professores que me acompanharam na universidade. De certeza que todos os contactos que estavam no meu telemóvel há anos já foram úteis de uma forma ou de outra, mas ontem, hoje e amanhã já não me fazem sentido. Alguns dos contactos que estavam na lista, ridiculamente, já nem os reconhecia. Um absurdo! Ganhei coragem e comecei a eliminar por ordem todos os contactos que encaixavam nos cinco critérios que referi. Foram dezenas, dezenas de contactos que foram eliminados um a um. A maioria eram de pessoas que conhecia, mas com quem já não falava há demasiado tempo. Outros tantos eram de pessoas que já não me recordava que existiam e outros de serviços que realmente me tinha sido úteis em determinado momentos, mas que hoje já não me faziam sentido.

Ao fim de três rondas apercebi-me que fiquei com metade dos contactos na minha lista. Ficaram as pessoas importantes, as pessoas com quem falo de tempos a tempos e aqueles contactos que certamente, mais tarde ou mais cedo, me serão úteis e que dificilmente volto a ter acesso se os eliminar. A lista do telemóvel ficou bastante mais reduzida, mas a sensação de libertação foi realmente fantástica.

Aos poucos tenho feito o mesmo ao Facebook com aquele botão maravilhoso que descobri aqui há uns tempos. Se ando a destralhar a minha vida de coisas absurdas e que só preenchem espaço, porque não o haveria de fazer nas redes sociais e no telemóvel? Na minha vida tenho trabalhado o desapego, não só dos bens materiais, mas também das relações pessoais então fazia todo o sentido eliminar nomes que já nada me significam. Pode parecer estranho esta minha necessidade de me livrar de algo tão abstracto, apenas um nome, um contacto, mas a verdade é que a sensação de leveza que me traz é maravilhosa, pois não me livro só de um nome e de um contacto. Livro-me de memórias menos positivas, livro-me de fases da vida que passaram e que não voltam e até da constante lembrança dessa pessoa de cada vez que vou ao telemóvel.

A casa, os armários precisam de arrumação, mas as memórias e os sentimentos também e esta limpeza só me fez bem.

Quem já experimentou?

 

Inspiração do Mês

Sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Segue-me ainda em...


Justsmile91's book recommendations, liked quotes, book clubs, book trivia, book lists (read shelf)

Nas páginas de...

2020 Reading Challenge

2020 Reading Challenge
Justsmile91 has read 0 books toward her goal of 12 books.
hide

Parcerias

Emprego em Portugal estudoemcasa-mrec