Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justsmile

Qui | 27.07.17

Preferida (10/20)

 

Depois de ter achado Rendida assim-assim. Depois de ter gostado de Refletida e Envolvida, voltei a desiludir-me com Atraída e prometi a mim mesma que não compraria mais nenhum livro da saga. Como é óbvio não consegui manter-me longe do livro. Ainda o andei a evitar uns tempos, até porque o livro já saiu há um ano, mas a curiosidade em saber o desfecho do livro conseguiu ser maior e venceu a minha racionalidade. O que, definitivamente, não deveria ter acontecido.

Preferida foi um livro aborrecido que apenas nas últimas páginas se tornou interessante e que não acabou da forma tão perfeita como poderia imaginar. Neste livro Eva e Gideon, já casados, mostram-se mais maturos. Não existem brigas desnecessárias, demonstram a confiança um no outro e o desejo está presente entre eles. Mostraram serem capazes de fazer cedências um pelo outro, mostraram que apesar de rumores e da intrusão de outros nas suas vidas o seu amor é mais forte. Eva cresceu, apesar de se ter tornado na esposa perfeita, conseguiu dar a volta às situações menos positivas. Gideon deixou de ser indestrutível e mostrou-se mais humano, mais colaborador, menos Deus e mais Homem. O amor entre ambos ficou mais natural, menos doentio e mais saudável. Sem dúvida que este evoluir das personagens foi o que de melhor encontrei no desfecho da saga Crossfire.

Quanto ao livro em si, por momentos pensei que a própria autora se tinha esquecido dos livros anteriores. As referências à história de Eva e Gideon foram tão constantes que me começaram a irritar. Eu li os livros anteriores, eu sabia a história e achei completamente desnecessário tantas viagens no tempo, tantas referências às vidas das personagens. As cenas de sexo foram reduzidas significativamente o que não me obrigou a saltar parágrafos e até a linguagem ficou ligeiramente mais suave. No entanto, cada vez mais acredito que este livro foi escrito sob 'pressão', numa tentativa de prolongar uma saga de sucesso, o que perdeu a essência que me tinha atraído. Estes dois últimos livros da saga Crossfire eram completamente desnecessários e só foram criando enredos absolutamente ridículos. Há realmente uma reviravolta final na história, uma reviravolta relacionada com a história da família de Eva, mas fizeram isso só nas últimas páginas o que demonstra a 'pressão' para algo novo surgir.

Este último livro da saga Crossfire foi realmente aborrecido. Li sob os dias de sol e piscina que partilhei com Ele. Li enquanto Ele passava pelo sono e apanhava um escaldãozinho, caso não o tivesse sido era capaz de ter deixado o livro a meio. Não me prendeu, não me atraiu e parecia estar a ler o que já tinha sido lido.

A quem ainda não leu nenhum livro da saga Crossfire, apenas um conselho, não leiam. A não ser que se seja realmente muito fã do estilo erótico, mas até assim irão ficar desiludidos ao longo dos livros.

O final de uma saga que demonstrou ser uma desilusão.

 

2 comentários

Comentar post