Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justsmile

Qua | 20.04.16

O Caso de O.J. - American Crime Story

(Imagem retirada daqui)

 

Tenho acompanhado a série sobre o Caso de O.J. Simpson na Fox todas as semanas. Talvez me tenha preso ao ecrã pela veracidade da história, pela atrocidade cometida ou simplesmente pela guerra que se inicia entre a defesa e a acusação. Não conhecia a história aprofundadamente, afinal não tivesse eu 3 anos na altura, e foi apenas esta série que me fez pesquisar sobre o que teria acontecido em 1994.

Em 1994, O.J. Simpson, um jogador de futebol americano muito conhecido, é acusado do assassinato da morte da ex-mulher e do seu namorado. Com que me deparo ao longo do julgamento? Um esquecimento total sobre a acusação de homicídio, mas uma tentativa de jogar a cartada do 'racismo' e de uma cilada policial em volta de uma figura pública negra. Não sei até que ponto é fiel a série, a caracterização é fantástica e os actores são realmente semelhantes às verdadeiras personagens desta história, mas se a série for fiel à realidade é fácil de ver porque saiu Simpson em liberdade, apesar da evidente culpa do arguido.

Desde o primeiro episódio que a acusação se demonstra demasiado confiante nas provas físicas que apresenta. Não se preocupa em falar com a comunicação social, não se preocupa em verificar factos, nem em estudar as próprias testemunhas do caso. Fia-se simplesmente em provas de ADN, que na altura eram pouco conhecidas, numas luvas, e em antecedentes de violência doméstica, dando assim como garantida a vitória no julgamento. Já a defesa demonstra uma inteligência superior. Não se preocupa em saber se O.J. é ou não culpado, mas sim em encontrar factores que corroborem todas as provas que são apresentadas em tribunal. E a cartada triunfal? O racismo contra os negros. Estes jogos de racismo, de envolvência da policia americana e de provas que ficam comprometidas, faz realmente O.J. sair em liberdade. Até eu, depois de ver a acusação 'enterrar-se' tantas vezes com as provas tive de dar razão à defesa, que simplesmente soube criar uma melhor história e fazer toda a gente esquecer os verdadeiros factos. Impressiona-me ainda mais como a acusação se deixou facilitar num caso tão importante. Não utilizou os seus recursos e deixou a defesa influenciar o público de forma a criar desacatos e pressões completamente desnecessárias quando, evidentemente, o racismo não era realmente um ponto essencial ao caso (isto de se sentirem sensíveis quanto à palavra 'negro' faz-me confusão quando nós somos os 'brancos', afinal como referimos o tom de pele na descrição de uma pessoa?...). Sejamos sinceros, a vitória de O.J. está realmente do lado de uma defesa inteligente, que recorreu a todos os meios para conseguir a sua vitória, mesmo que o verdadeiro culpado fosse a famosa personagem.

Adoro a série, comparando-a com uma pesquisa posterior que fiz sobre o caso, penso que está realmente fiel à realidade daquele julgamento duradouro. Apesar de tudo revolta-me! Revolta-me O.J. ter saído ileso e com um sorriso nos lábios (pois, para mim é realmente culpado) e revolta-me a mediática temática que envolveu o caso, que nada tinha a haver com o assunto.

E vocês acompanham a série? Que acham? 

28 comentários

Comentar post

Pág. 1/2