Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justsmile

Seg | 18.09.17

Mudança de estação, reorganizar o guarda-roupa

(Imagem retirada daqui)

 

      Um dos primeiros passos  que dei no minimalismo foi organizar o meu guarda-roupa. Deitar fora o que estava estragado e dar o que não servia, foram as minhas prioridades. A tarefa não foi muito complicada, até porque por hábito, anualmente, já costumo fazer uma limpeza profunda aos meus armários e porque nunca tive muita roupa. Mas depois de me ter inspirado no minimalismo fui mais radical, tudo o que não usava há mais de um ano foi realmente para o lixo e diminui o conceito de 'roupa para andar em casa', visto ter tão pouco tempo e tão poucas ocasiões para usufruir de tal roupa envelhecida e desgastada. No fim dessa revolução apenas ficaram três peças que me deixaram na dúvida e apenas as deixei porque considerei que iriam ser as minhas peças teste, ou seja, não tinha a certeza se as iria usar durante a próxima estação. Ainda assim dei um pequeno saco de roupa (normalmente levo a minha roupa aos limites) e um grande saco de roupa foi parar ao lixo ou porque estava desbotada e alargada ou até porque já tinha alguma mancha que não saía. Este foi um dos passos que mais me fez ver o que tinha no armário, não que tenha encontrado peças que não visse ou usasse há anos (volto a lembrar que nunca tive muita roupa), mas deu simplesmente para organizar o armário por estação e por peças, camisas de um lado, casacos do outro e por aí adiante.

       No entanto, cada vez que vou às compras tenho uma síndrome complicada, nunca sei bem como combinar o que estou a comprar com o que tenho em casa. Porquê? Porque confundo as peças de roupa que tenho e as cores que preenchem o meu armário, acabando por cair sempre nos mesmos tons ou por comprar coisas um tanto ou quanto semelhantes (as camisas são o meu calcanhar de Aquiles). Decidi então que iria fazer uma espécie de catálogo da minha roupa pessoal e fazer uma gestão do mesmo para saber o que tenho, o que preciso de substituir e se a peça que quero comprar fica realmente bem com o que já tenho em casa. Quando referi aqui que tinha feito um catálogo do meu guarda-roupa alguém comentou que deveria ser enorme, o que na verdade não é, simplesmente sou demasiado esquecida e, vá, pouco interessada em roupa, apesar de gostar de andar asseada. Assim, ao tirar uma fotografia a cada uma das minhas peças de roupa permitiu-me ter consciência de cinco coisas:

       - Tenho um guarda-roupa cápsula, é verdade, sem ainda conhecer este conceito aprendi que tenho menos de 30 peças de roupa para cada estação, nisso incluo sapatos e casacos. Sabia que tinha pouca roupa, mas realmente apercebi-me que ainda tinha menos do que aquilo que pensava;

       - As peças de que preciso mesmo de substituir, ao verificar peça a peça percebi que algumas já começam a ficar mal para ir trabalhar. São peças com bastantes anos que acabaram por alargar ou perder a cor com tantas lavagens;

       - A diferença entre a roupa antes e depois de começar a trabalhar. Este ponto foi realmente evidente, a roupa que usava antes de começar a trabalhar começou a ficar mais vezes parada no armário e quando comecei a trabalhar optei por comprar menos peças e mais qualidade, algo que não fazia anteriormente. Desde que trabalho e, admito também por culpa d'Ele, comecei a escolher marcas e material que dure mais tempo (pelo menos assim o espero), preferi começar a ter menos peças e fazê-las durar mais do que comprar peças de 2€ e 5€ que não duram um mês. Isso e o estilo de roupa mudou significativamente desde que entrei no mercado do trabalho;

       - O que preciso de comprar para cada estação, com esta avaliação do guarda-roupa apercebi-me que há uma ou outra peça que preciso de aumentar no meu armário, nomeadamente, camisolas e um ou outro vestido para ser mais fácil de gerir lavagens e o guarda-roupa da semana;

       - Aquela peça que pensamos que vamos usar não é usada. Esta organização fez-me bem, aquelas peças teste que lá estavam afinal precisavam era mesmo de ir para o lixo, numa próxima não deixo peças teste.

      Depois deste inventário daquilo que tinha tornou-se mais fácil cumprir com os aspectos acima mencionados. Decidi então que agora no final de estação deveria voltar a verificar o guarda roupa e relembrar aquelas peças teste que deixei no início da estação. Lembram-se delas? Pois bem, passei o verão inteiro sem lhes tocar. Uns calções que poderiam ser usados em casos de emergência, uma t-shirt com a mesma função e aquele vestido que poderia ser usado numa ocasião mais formal e num dia mais quente, nunca saíram do armário. São peças com alguns anos, que não estão 100% no seu bom estado, e que pensei que poderiam ser utilizadas caso não houvesse mais nada no armário. Afinal houve sempre alternativas a elas e agora vão parar direitinhas ao lixo. Ao rever a roupa que não foi utilizada no verão, ao olhar para as fotografias da roupa da próxima estação apercebi-me que neste Outono quero comprar três peças. Sem sair do sofá vi as peças que estavam a precisar de ir para o lixo e decidi substitui-las pelas promoções de 40% em partes de cima da La Redoute (já disse que adoro comprar roupa online? É para verem como adoro sair de casa para comprar roupa... ou não!). Pude ver as peças que queria deitar ao lixo e logo ali, sem pensar demasiado comecei a procurar substitutas, que me agradassem, que parecessem ser de mínima qualidade e a um preço agradável. A encomenda ficou feita, mal cheguem as outras roupas irão directas para o lixo e assim continuarei com um armário cápsula e sem ter muitos problemas para gerir o meu vestuário no dia-a-dia.

      Isto de organizar a minha roupa tem feito maravilhas, até o drama de "Não sei o que hei de vestir" tem diminuído!

 

 P.S.: Vejam lá as peças escolhidas.

 

18 comentários

Comentar post