Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justsmile

Seg | 27.11.17

Fetiche (18/20)

(Imagem retirada daqui

 

       "Fetiche" foi uma das minhas descobertas da Feira do Livro, uma daquelas descobertas baratíssimas que me chamaram à atenção pela capa, pelas primeiras linhas e que deixou a minha curiosidade aguçada. "Fetiche" é um thriller escrito por uma famosa modelo australiana que conseguiu ganhar alguns prémios às custas deste livro, Tara Moss. Este é um livro cheio de acção, mistério e romance. Mak é uma modelo canadiana que estuda Psicologia Forense e que para conseguir pagar as propinas durante as férias se dirige à Austrália para fazer alguns trabalhos fotográficos. À sua espera tem a melhor amiga Catherine, mas nunca se chegam a cruzar pois esta foi brutalmente assassinada pelo Assassino dos Stilettos. É a ligação que Mak tem com Catherine, é o contacto que Mak tem com o crime que a fazem ficar na Austrália até descobrir o verdadeiro assassino da amiga.

       Este é um livro de leitura simples e agradável. A escrita é envolvente e autora consegue-nos facilmente enviar para o momento, no entanto não é um livro com o factor "Uau!". Tem bons momentos de suspense, bons momentos de sedução e até partes em que conseguimos entrar na cabeça do assassino, mas não é tão surpreendente como esperava. No entanto, acredito que seja muito bom para pessoas que não gostam de coisas muito complicadas e que gostem de bons thrillers, para isso este é o livro indicado. O factor surpresa existe, pois demorei imenso tempo até compreender quem era o assassino e o livro conseguiu facilmente agarrar-me, mas achei demasiado básico. Apesar de tudo foi um bom livro. De rápida leitura, de fácil compreensão e que até me soube bem nos dias complicados que tenho tido. No fundo este livro surgiu na altura ideal, no momento em que mais precisava de descanso mental e de algo que me absorvesse da realidade.

       Por isso, apesar dos seus dois euros, este livro foi uma boa aquisição e é ideal para quem não quer usar muito o cérebro.

 

8 comentários

Comentar post