Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justsmile

Qui | 12.10.17

Dar prendas nem sempre é fácil

(Imagem retirada daqui)

 

      Tenho vindo aqui a falar do Minimalismo, das suas maravilhas, do quanto me tem feito bem, mas a verdade é que nem tudo tem sido fácil. Às vezes dou por mim numa luta comigo própria a tentar perceber se isso se encaixa nas minhas expectativas, valores e necessidades. No final do ano costumo fazer sempre um orçamento do quanto gastei ao longo do mesmo nas diferentes áreas, quanto gastei em jantares, em passeios, em livros, em saúde e em prendas. Este último aspecto é sem dúvida um dos valores altos dos meus gastos. Tenho uma família grande, irmãos, sobrinhos, cunhados, primos pequenos, primos grandes, tios, amigos e até para bloggers, o que significa que quase todos os meses tenho de comprar prendas ou colaborar nas prendas de alguém, quando dou por mim chego ao fim do ano a ter gasto 300-400€ em prendas. É 5€ para aqui, 3€ para ali e sem me aperceber uma grande parte do meu orçamento anual vai para prendas. Por muito pequena que a prenda seja é sempre algum valor o que tudo junto dá um bolo muito grande.

      Outubro é um mês de grandes despesas no que toca a aniversários (isso e de Dezembro a Março é sempre a dar prendas) são os meus dois irmãos e Ele, é mais uma prima e se entretanto não surgir mais nenhum (o que acontece com muita regularidade) já vou com sorte. São pessoas importantes na minha vida que merecem sempre um miminho, mas que me obrigam sempre a fazer uma derrapagem no meu orçamento mensal (no mês passado foi a mãe e uma amiga). Não gosto de dar coisas que não servem para nada, não gosto de dar coisas que não se adaptam à pessoa e nem gosto de dar coisas que não aprecio, o que na hora de dar prendas me complica no orçamento. Para a minha irmã dei uma camisola, para o meu irmão uma camisa, para a minha prima outra camisola e para Ele será o tal fim-de-semana, tudo junto fez com que o meu orçamento mensal disparasse. Compreendi então que vou ter de aprender a controlar-me ao oferecer prendas, a escolhê-las e até aprender a dizer 'não' a alguns aniversários e prendas conjunto. Preciso também de criar um sistema para dar prendas.

      Para prendas de natal e aniversários muitas vezes dou à família e aos sobrinhos roupa, sei que são coisas que fazem falta e que são necessárias, o meu drama em dar roupa é que só a posso comprar na altura para poder dar o talão de troca caso não sirva ou não seja do agrado da pessoa. Sendo assim nunca posso procurar com muita antecedência as prendas, nem ir em busca das promoções, pois simplesmente não existem ou não se adequam à pessoa em questão. O meu drama é sempre o talão de troca, até com brinquedos para os sobrinhos tenho sempre cuidado com as compras, pois o receio do brinquedo estar estragado ou até de vir a ser repetido é sempre enorme, o que me faz fugir às promoções e afins. A única coisa que costumo não ter problemas em comprar são os livros, mesmo que sejam repetidos, guardo-os para outra oportunidade e dou a outra pessoa ou até fico com eles. No entanto, precisava de novas dicas para conseguir diminuir o meu orçamento anual em prendas. Será possível?

      Desde que me envolvi no Minimalismo que tenho mais consciência na hora de comprar e foi este mês que me apercebi que comprar prendas é realmente um problema para mim. Apesar de adorar dar prendas, normalmente invisto mais do que em mim própria. Tenho menos problemas em comprar uma prenda mais cara para alguém do que compraria a mesma coisa para mim própria por aquele preço, o que também não me parece correcto. E é aqui que entro em conflito comigo mesma, pois quero dar algo dentro dos meus parâmetros e dos da pessoa, mas também manter-me dentro do orçamento mensal, o que me parece impossível. Serei eu que estou a complicar? Terei de aprender a dizer 'não' mais vezes? Ou estarei simplesmente a fazer mal o meu orçamento mensal? Será que deveria criar todos os meses uma categoria de poupança só para prendas?

      O Natal está aí à porta e ainda não pensei bem no que dar e a quem, normalmente faço as compras ainda em Novembro quando já há a oportunidade dos talões de troca serem utilizados depois do Natal. Assim fujo aos custos elevados pré-Natal e não me meto em muita confusões, no entanto compreendi que este ano tenho de tentar manter-me num orçamento ainda mais restrito (já disse que ando em poupanças extremas?). E fazer biscoitos e compotas não podem funcionar como prenda para estes lados, pois não terei tempo (vou andar de volta dos convites e com outras actividades paralelas), simplesmente preciso de ideias para me organizar. Acho que este vai ser um dos pontos que vou ter de alterar financeiramente em 2018, a ver se faço um plano anual de quando tenho de dar prendas e de como posso poupar para elas.

      Há alguém por aí com o mesmo drama que eu? Ajuda precisa-se.

10 comentários

Comentar post