Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justsmile

Ter | 17.01.17

Afinal ter enxoval é uma boa ideia!

(Imagem retirada daqui)

 

Velhos eram os tempos em que uma rapariga de 14 anos começava a fazer o enxoval. Ainda não havia previsão de casamento e nem namorado havia, mas as prendas já começavam a girar em torno de lençóis, copos e mantas. A minha mãe ainda nem tinha conhecido o meu pai e já tinha adquirido o cobertor com que durmo. Ainda nem imaginava que ia conhecer aquele homem e já tinha na arca guardada a coberta que viria a ser do seu quarto de casal. Os primeiros ordenados dela, com 13/14 anos foram para pratos Pirex e para canecas que ainda hoje, ao fim de 39 anos de casamento, se mantêm vivos no armário da cozinha.

Hoje em dia, cada vez que me davam algo semelhante a uma peça de enxoval despachava para a minha mãe. Até podia haver namorado ou não, mas a verdade é que a ideia de casar ou viver junto estava tão longínqua que nem queria pensar no assunto. Hoje, com 25 anos, a pensar em juntar os trapinhos vejo como os tempos mudaram e em como deveria ter guardado algumas dessas coisas. A minha mãe durante anos juntou coisas para quando se casasse. Na altura certa de se casar já tinha tudo, pratos, copos, cobertores, mantas, toalhas, tudo o que uma casa necessita. E agora que ando a pensar em juntar os trapinhos é que penso no quão inteligente teria sido se tivesse feito o enxoval com antecedência. Teria poupado preocupações, poupado a carteira e uma série de idas a shoppings. Mesmo tendo começado no ano passado a fazer o enxoval, em que começamos pela saga dos pratos, eu e Ele estamos sempre a pensar naquilo que ainda nos falta. Os copos e os talheres também já cá cantam (e nem foram tão demorados a escolher como os pratos), travessas e coisas para servir aperitivos também, assim como umas chávenas de café simplesmente maravilhosas. No entanto, ainda nos falta tanta coisa e que se torna um tanto ou quanto assustador. Tudo fica mais assustador ao pensar no dinheiro que ainda nos falta gastar, mas também nos dias em que tenho de me dedicar a fazer listas do que tenho e do que ainda nos falta (acho que esta lista já deveria estar feita). E escolher? Nossa! Há tanta variedade de coisas, com tantos preços, que entramos sempre num dilema do que devemos levar e qual o que apreciamos mais. Todo o processo de criação de um enxoval é simplesmente cansativo, eu só de vos estar a escrever já fico cansada, e só de pensar nos tempos que se avizinham fico aterrada de medo por pensar no que ainda temos para fazer e comprar.

A vantagem de não ter ainda o enxoval feito com muita antecedência é apenas uma, Ele gosta de ir comigo escolher tudo. E quando digo tudo, digo tudo mesmo, eu não posso escolher uma única peça sem Ele senão estou capaz de ouvir raspanete. Aliás, a paciência d'Ele e o seu bom gosto têm sido importantes nesta selecção, a minha racionalidade para o preço e para as quantidades essenciais para todo este processo. Por isso no fundo completamo-nos até para preencher uma casa que já está imaginada nos nossos sonhos. Ainda assim? Adorava ter guardado e aceitado todas aquelas coisas que me tinham oferecido para o dito 'enxoval'.

A única coisa que peço, desejem-me sorte para a criação deste enxoval.

 

P.S.: A verdade é que estar a fazer o enxoval com tempo também nos tem dado oportunidades fantásticas de promoções. Pelo menos isso!

 

26 comentários

Comentar post