Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justsmile

Sex | 30.09.16

Afinal nem todos os piropos são crime!

(Imagem retirada daqui)

 

A minha função na empresa baseia-se muito na parte administrativa. Estar sentadinha num computador o dia todo rodeada por papeis é a minha principal função. No entanto, de longe a longe, pedem-me que vá aos bancos depositar cheques e dinheiro ou até uma ida ao correio. Lá vou eu, toda contente no carro da empresa (que é beeeem melhor que o meu bolinhas) e vou à cidade.

Num desses dias, numa dessas idas perfeitamente normais, num dia de muito calor em que optei por um vestido, ouvi o piropo mais assustador da minha vida. Ia eu, descansadinha da minha vida a caminho do carro, já com as minhas tarefas todas feitas e com um envelope cheio de documentação na mão, quando passo num passeio estreito lado a lado com um homem. Um homem bem aparentado, com o cabelo despenteado cheio de estilo, que ao passar por mim sussurra ‘gata’. Sim, digo-vos, o homem sussurrou-me quase ao ouvido ‘gata’. Uma voz tão assustadora, que quase parecia um assassino em série. Fiquei demasiado assustada para sequer olhar para trás, e se à primeira pensava que tinha ouvido mal, a segunda vez que ele pronunciou ao olhar-me de cima a baixo foi ainda mais assustadora.

Sempre prefiro ouvir ‘que com mais uns pratinhos de sopa estava lá’ do que um ‘gata’ que me soa a crippy. Será que o posso processar? É que que pelos vistos 'comia-te toda' não é uma expressão que seja considerada crime e provavelmente, com jeitinho o homem ainda alegava que andava atrás da gata dele que estava desaparecida.

Sou só eu ou já houve mais alguém a ouvir assim uma coisa assustadora?

17 comentários

Comentar post