Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

justsmile

Seg | 18.12.17

A Linguagem Secreta das Mulheres (19/20)

(Imagem retirada daqui)

 

      Esta é uma história sobre viajantes. Uma história sobre muitas histórias que em determinado momento se cruzam. A história de um Capitão temível. A história de um sábio que vai em busca de animais desconhecidos e que apenas se conhecem de fábulas. A história de um rapaz que quer deixar o seu pai orgulho. A história de um tradutor que tem o dom de aprender todas as línguas. A história de uma mulher que se apaixona e acha que vai para a cidade do Imperador viver a história da sua vida. A história de um pai que procura o seu filho. A história de um Rei que não é reconhecido pelo Papa. É este o livro que se apresenta como "A linguagem secreta das mulheres", um livro de histórias. Admito que depois de ter lido um texto de opinião sobre este livro que fiquei bastante reticente, fiquei com a sensação de que seria maçudo e que me iria cansar facilmente, mas a verdade é que me enganei. 

       O enredo passa-se no século XIII, é preciso então viajar no tempo e lembrar dos hábitos antigos. É a história de um grupo que a mando de um Rei, envia-os para o Oriente em busca de animais misteriosos. É quando as suas histórias se cruzam com a de Ming Yueh que se dirige para a cidade do Imperador e que ao longo do percurso vai deixando misteriosas mensagem espalhadas pelas árvores, paredes, chão. Venn, o tradutor, sem saber o autor de tais mensagens começa a estudá-las, começa a tentar decifrá-las até compreender que toda aquela escrita, todas aquelas palavras são únicas de mulheres. É a forma das mulheres desabafarem, falarem dos seus dissabores com outras mulheres sem serem recriminadas, sem serem descobertas. É uma linguagem apenas delas e só Venn conseguiu desvendar tal mistério. Mas este é apenas o início de uma grande aventura. Ao longo do tempo ficamos a saber mais sobre a vida de cada uma das personagens, sobre o seu passado e sobre os sentimentos que tentam tão bem esconder. É um livro de uma grande aventura que deixa o leitor preso.

       Este foi um livro que saboreei e que me deu imenso prazer ler. Uma longa aventura que tem os seus percalços, os seus momentos, as suas próprias histórias, mas que de certa forma tocam em todos eles. É uma história sobre a humanidade que parece desaparecida em cada um deles. É uma história sobre paixão, em busca do desconhecido, da descoberta do sentimento. É uma história sobre a coragem, sobre a lealdade e até sobre a religião. É realmente um bom livro! Acredito que nem todos gostem do livro, é preciso um bom enquadramento dos comportamentos da época e até um bocadinho de conhecimento sobre a vida Oriental, no entanto acho que é muito bom, pois baseia-se em alguns factos reais, nomeadamente a linguagem secreta das mulheres que perdurou muitas gerações. 

       Este livro foi uma agradável surpresa!

 

       "- Tu dizes-mo. Todos os dias - respondeu-lhe. - Dizes-me isso e muito mais. Mesmo quando estamos separados, com outros a caminharem entre nós, mesmo nesses momentos falas comigo. - Tirou a mão que tinha pousado nas costas dele e desenhou-lhe o contorno dos lábios com as pontas dos dedos. - Também consigo aprender línguas novas. Sempre que me tocas, falas comigo. Falas comigo através da forma como te mexes, da forma como me abraças. Falas comigo quando os teus olhos parecem abrir-se muito. - Sorriu. - Não precisas de traduzir para mim. Gosto das tuas palavras silenciosas que nunca ninguém disse. 

 

2 comentários

Comentar post