Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

Qua | 14.06.17

Vamos dar o nó #5 Habemus fotógrafo (talvez)!

 

Desde daqui que andamos na  nossa saga por fotógrafos e foi reduzida, apesar de longa. Há quase quatro meses que eu e Ele temos andado a investigar fotógrafos online e a pedir orçamentos. Sabíamos bem o que queríamos e o que não queríamos, o que não tínhamos noção era dos orçamentos. Eu sempre pensei só em fotografia, não queria fotografias em casa e nem queria vídeo, achava que eram duas coisas em que podíamos poupar e que não eram totalmente necessárias. Contudo, tenho um noivo (tão estranho que é chamar-lhe noivo) que quer tudo a que tem direito, ele é vídeo, ele é fotógrafo, ele é fotografias em casa e até drone. Não tive muito como regatear a situação e lá tive de aguentar a escolha d'Ele, um acréscimo aqui, um acréscimo ali e assustei-me com os orçamentos que nos foram dando, desde os 1800€ aos 4000€. 'Como é que é possível?', esta foi a frase que mais me passou pela cabeça ao longo do tempo. De um orçamento pré-definido de X tivemos de o passar para Y e já fico feliz por não ter de o duplicar. Lá andamos nós a investigar online mil e quinhentos fotógrafos quando conseguimos reduzir a enorme lista para apenas três que nos enchiam as medidas nas fotografias e no vídeo e ainda se conseguiam encaixar no orçamento. Lá marcamos a reunião com cada um deles, quase com o espaçamento de um mês entre eles, e tivemos três reuniões completamente diferentes, com três estilos de fotografia ainda mais diferentes.

Os primeiros tinham fotografias belíssimas, o orçamento era bom e a simpatia também. No entanto, a nível de produção de vídeo era do mais romântico que podia haver, o que não se encaixava em nadinha connosco. Além de que as fotografias eram demasiado trabalhadas para o nosso gosto. Esta foi a entrevista em que me saí com 'eu e Ele não somos nada românticos, aliás, temos o hábito de gozar um com o outro.', à qual Ele e o fotógrafo ficaram a olhar para mim e riram-se (isto de às vezes perder o filtro é terrível)

O segundo fotógrafo foi o que mais me apaixonou. Vídeos divertidos, imensas fotografias naturais e um jogo de cores que despertava a felicidade a quem as via. Uma simpatia enorme de quem nos recebeu, cheio de ideias e sugestões para o grande dia, conquistou-me, não à primeira, mas à segunda vista. Ele também apreciou, até porque estava dentro do orçamento escolhido e realmente a qualidade das fotografais e o sentimento que despertavam era aquilo que procurávamos.

No entanto, lá fomos ao terceiro fotógrafo, onde referi que os nossos nomes eram panisgas. Gostamos da simpatia e da sinceridade e até das fotografias, no entanto o sentimento que elas me despertavam eram de nostalgia e não de felicidade. Um jogo de cores mais escuras, uma ou outra fotografia com poses mais evidentes e até o vídeo não era dos nossos preferidos. Mas Ele adorou, adorou ainda estar dentro do orçamento e o facto de serem quatro profissionais. Gostou das fotografias trabalhadas e cheias de prémios e até dos sentimentos que lhe transmitiam.

Foi então durante o último mês que eu e Ele andamos no impasse de decidir o fotógrafo, a divisão entre o segundo e o terceiro era mais que evidente. Eu defendia o segundo, ele o terceiro. Ele queria a nostalgia, eu queria a felicidade. Ele queria quatro profissionais, eu achava que três eram mais que suficientes. Ele achava as fotografias do terceiro mais naturais e eu achava as do segundo. Chegamos a tal ponto da situação que parecia que apenas seria resolvida com o atirar da moeda ao ar (chegamos mesmo ao cúmulo de atirar a moeda ao ar), no entanto, num momento de epifania Ele compreendeu que eu tinha razão (como tive sempre na vida, né?). Ao fim de muitas fotografias de noivos, de muitos vídeos que nos fizeram rir de tanto mel, de muitas noites em volta de orçamentos e de repetição de novas visualizações de fotografias e vídeos, chegamos a uma conclusão. O segundo fotógrafo foi a decisão, agora? Agora é esperar que o senhor ainda tenha a nossa data disponível!

 

P.S.: Ninguém me tinha dito que escolher fotógrafo era mil vezes pior que escolher uma quinta!