Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

Qua | 17.05.17

Ainda posso falar do dia 13 de Maio?

Sou portuguesa. Sou católica. Não sou benfiquista, mas Ele é.

O dia 13 deste ano teve um sabor especial. Não só foi o dia dos 100 anos de Fátima, com a presença do Papa Francisco que marcou as cerimónias de beatificação dos pastorinhos, como tivemos um outro Salvador que tirou Portugal da amargura da Eurovisão. A amargura do Benfica ganhar é que deixou um travo desgostoso na boca. Tirando isso, o dia 13 de Maio de 2017 irá ficar marcado para toda a história, por tantas coisas e tão diferentes umas das outras.

Comecemos pela Eurovisão. Eu admito, aqui e agora (sujeita a chicotadas) eu não sou grande fã da música. Gosto da letra, gosto da melodia, mas é um tipo de música demasiado romântico para mim e que não aprecio tanto. No entanto, estive sempre a torcer pelo Salvador, simplesmente porque sou portuguesa. Admito que não sabia se conseguíamos ganhar, acreditava numa boa classificação, mas ganhar ainda me parecia demasiado longínquo. Contudo, estive agarrada à televisão até ao fim e partilhei a ansiedade com tantos milhões de portugueses. Festejei algo que nunca pensei festejar, a vitória de Portugal na Eurovisão. São 26 anos a acompanhar a Eurovisão e ver a primeira vitória foi realmente algo único e, ainda que não aprecie tanto a música, admiro-a. Admiro a simplicidade referida pela Luísa Sobral, admiro como uma música tão simples conseguiu conquistar a Europa e admiro ainda mais a simplicidade do Salvador a dar entrevistas. O dia 13 de Maio entrou para a história da música portuguesa e, como portuguesa que sou, só tive de festejar e partilhar a alegria de uma vitória tão desejada.

O dia foi também de festa para todos os católicos e até alguns não católicos que apreciam o Papa Francisco como ser humano que é. Mais que a canonização dos pastorinhos (que a mim não me diz muito, lembrem-se, tenho uma visão da religião muito própria) foi a presença do Papa que marcou o dia, um Papa que demonstra a humanidade. Que pára para cumprimentar crianças, idosos e até cães. Um Papa que pouco quer saber do ouro, apenas se for para ajudar os pobres. Um Papa que não quer saber de convenções, que quer ir no meio da multidão e entregar a sua devoção. Este 13 de Maio fez-me gostar ainda mais de um Papa que está a tentar mudar a igreja católica, que está a tentar fazê-la ver que é preciso evoluir juntamente com o mundo. E mais que isso, que o catolicismo é solidariedade. Este é sem dúvida um Papa que me aproxima ainda mais da religião, continuarei eternamente com as minhas dúvidas religiosas. Serei sempre uma católica, meia estranha para os mais tradicionalistas, mas sou católica e este Papa tem-me ajudado a compreender que apesar de todas as dúvidas, todas as questões que levanto em modo de reflexão, fazem sentido e não fazem de mim a ovelha tresmalhada. Mas que dia bonito que foi para todos os católicos!

Quanto ao Benfica? Apenas um comentário que vi algures por aí e que fiz questão de partilhar com Ele 'enquanto 5 for maior que 4, está tudo bem'.

 

E viva o Salvador! Viva a Música Portuguesa!