Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

Seg | 13.02.17

Vamos dar o nó #2 A temível lista

 

Antes de começarmos a ver as quintas a primeira coisa que fizemos foi definir um orçamento e logo de seguida iniciamos a nossa lista de convidados. Por incrível que pareça, não foi uma coisa complicada. Apenas colocamos na lista os amigos mais próximos e a família directa, mais ninguém. Não tivemos de alterar e voltar a alterar a lista, foi tudo muito intuitivo e não deu muito que pensar. O momento assustador foi precisamente o momento em que vimos o número final de convidados. Quase que tínhamos um ataque! A lista não tem 200 pessoas, mas não anda longe disso e por muito que a tentemos reduzir não conseguimos.

'Ah e tal, corta naqueles familiares que nem uma vez por ano vês.', impossível, vemos todos e mais que uma vez por ano. O nosso maior drama é que ambos somos de famílias enormes e com as quais ainda convivemos de tempos a tempos. Tanto o lado materno como o paterno de um e de outro, ainda são famílias que se reúnem para churrascos, para comunhões, para os baptizados e, principalmente, para o São João. Vimos de famílias que nunca deixaram de conviver, talvez no últimos anos esses convívios tenham diminuído, mas nunca deixaram de existir. 

'E porque não cortas nos familiares de segundo grau?', que familiares de segundo grau? Os que tenho são todos menores, filhos dos primos mais velhos, e sei que ainda são uns quantos, mas não se pode simplesmente pedir a alguém para ir a um casamento e deixar os filhos em casa. Aliás, eu fui aos baptizados e comunhões desses pequenos e ainda brinco com eles quando nos encontramos. Parecia-me simplesmente absurdo dizer para os pais virem à festa e os miúdos não.

'Então é nos amigos que tens de cortar, Just.'. Vamos lá ver, eu e Ele até não temos tantos amigos quanto isso, mas todos têm namorados, namoradas, maridos ou esposas e alguns deles já têm filhos, o que não aumenta propriamente o número de amigos, mas sim o número de convidados. E aqui que volta podemos dar? Nenhuma. Os namorados, esposas e filhos estão incluídos no pack e por muito que se queira dizer que não, no fundo já fazem parte do grupo de amigos e por isso não podem ser excluídos. O pequeno grupo de amigos tem vindo a aumentar com as novas 'aquisições', mas isso é bom e nesse dia essa amizade também deve ser celebrada e por isso não pode ser colocada de lado.

'É impossível teres assim tantos convidados e não conseguires cortar em lado nenhum.' Talvez, conseguisse cortar um aqui e ali, mas depois pensamos que são pessoas que nos são essenciais. Não fazem parte do nosso dia-a-dia, mas sim da nossa vida e não os podemos descartar dessa forma. São pessoas que nos ajudaram quando mais precisamos, são pessoas que estão sempre disponíveis para nos dar a mão e são pessoas, que por mais que o tempo passe, sabemos que estão lá e a melhor gratidão que lhes podemos dar é convidá-las a estar presentes num dia tão especial como o dia do nosso casamento. O grupo destas pessoas é o menor, mas não nos sentimos bem em deixá-las de parte, sabendo que fazem parte da nossa história e da nossa vida. Vejo-os como uma presença importante no nosso dia.

'Just, estás tramada com tanta gente!', e estou mesmo (apesar de ao verificar no grupo de noivas do Facebook que comparada com algumas noivas até tenho poucos convidados), até porque nós é que vamos pagar o nosso casamento, mas sei que naquela lista estão as pessoas que fazem parte da nossa vida. Fazem parte da nossa história e haverá maior motivo do que esse para as manter na lista dos convidados?

Na hora de fazer a lista de casamento pouco pensamos no politicamente correcto, convidamos simplesmente quem nos parecia necessário. Há alguns que acreditamos que não irão comparecer (pouquíssimos), até porque o casamento será a um dia da semana e ainda temos a lista dos 'não sei'. Não sei se convide, não sei se sentirão confortáveis e não sei se quererão sequer ir e esse lado da lista ainda está em stand-by. Mas sabemos também que 97% da lista que temos marcará a sua presença, são pessoas que nos são próximas, pessoas que se preocupam com a nossa felicidade e com quem a queremos partilhar. E apesar da lista ser enorme, estamos felizes por saber que quem lá está nos é essencial.

E vocês como fizeram a lista de casamento ou irão fazer?