Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

justsmile

Qui | 19.01.17

Poupar, palavra do meu dia-a-dia

(Imagem retirada daqui)

 

Tenho acompanhado no blog da Cláudia o seu percurso pelo Minimalismo e no melhoramento dos seus comportamentos para poupar mais e melhor. Ao lê-la apercebo-me do quanto minimalista e poupada consigo ser, melhorando a cada ano que passa e conforme os meus objectivos.  Aliás, ultimamente Ele consegue chamar-me de ‘forreta’ (vamos lá ver, eu não sou forreta, mas sim muito poupada).

Ao longo da vida cresci sem me faltar nada, no entanto, a certa altura as questões económicas familiares obrigaram-me a aprender a ‘apertar o cinto’. Deixei de pedir fosse o que fosse aos meus pais, e roupa e outros acessórios vinham como prendas de aniversário ou natal. Não foram tempos fáceis, muito pelo contrário, ao longo dos últimos dez anos vi-me obrigada a abdicar de muita coisa, não só material como também experiências de vida. Contudo, apesar de todas as dificuldades por que passei, se há algo que aprendi foi a poupar. Se nos primeiros empregos poupei para ser desempregada, e com esse dinheiro arranjei-me durante todo o desemprego sem ser necessário pedir seja o que for (frisa-se que nunca usufrui de subsidio de desemprego), agora poupo para atingir os meus objectivos que envolvem bastante dinheiro. Ser poupada foi algo a que a vida me incutiu, mas também que no fundo se tornou parte de mim e de quem sou. Não digo que de vez em quando não me mime, mas é muito raro ou os meus mimos são úteis.

E ao longo destes últimos anos desenvolvi alguns truques de poupança que hoje sustentam a minha vida financeira. Não foi algo fixo nem demasiado elaborado, simplesmente aprendi naturalmente a poupar e a aprender com os meus próprios erros. Principalmente no que toca a livros.

E que truques uso para poupar? Fácil, nunca estive habituada a ter muito, por isso acabo por ter o estritamente necessário para o meu conforto e bem-estar. E quando digo isto não me refiro apenas a roupa e livros, mas também em tecnologias e a saídas com amigos. Na minha cabeça tenho as coisas bastante delineadas para saber como poupar:

- Compro livros, unicamente, quando já só tenho um na estante, mesmo sendo estes o meu maior mimo. Até lá evito ao máximo comprar livros e tenho-me portado muito bem no que toca a isso (coisa que quando comecei a trabalhar não aconteceu assim tanto).

- Roupa e acessórios, compro apenas quando tenho de substituir determinadas peças, muito raramente compro por impulso. Aliás, pensando bem, não compro por impulso. Nos últimos meses tive de adquirir bastante roupa por questões profissionais (ai que tenho saudades da minha bendita farda!), no entanto decidi apostar um pouco mais na qualidade do que na quantidade e espero que as peças que comprei esta estação me durem para alguns anos.

- Saídas com os amigos, eu e Ele andamos mais selectivos. Decidimos que não podemos dizer sim a tudo e mais alguma coisa. Tentamos ao máximo jantar fora apenas uma vez por mês, há meses em que é impossível devido a aniversários, no entanto tentamos compensar no mês seguinte. Os amigos têm compreendido e assim acabamos por poupar, outras vezes convidámos para virem a minha casa.

- Poupar nas saídas, no início do namoro saíamos bastante, mas penso que isso era normal. Hoje saímos, mas nem metade. O cinema é só com desconto e à terça-feira, mas raramente temos ido. Lanches e jantares acabamos mais por fazer em casa. Compramos os ingredientes e fazemos na mesma coisas boas, mas no aconchego do lar.

- Comprar em promoções. Raramente compro coisas fora de promoção, seja roupa, livros, prendas ou até coisas para o enxoval. Nos últimos tempos nem me lembro de ter comprado seja o que for fora de promoções (tirando produtos de alimentação e higiene). As compras online têm sido uma mais-valia e ainda não comprar por impulso é uma excelente opção.

São apenas cinco dicas que me têm ajudado imenso, mas que nos últimos seis meses de trabalho me ajudaram a poupar mais de metade do ordenado. Sei que ainda não vivo longe dos pais, que mais tarde virão outras despesas, mas por saber que este ano se avizinham muitas delas sei que é necessário poupar. E poupar? Essa sempre foi uma palavra bastante frequente do meu vocabulário.

E quais são as vossas dicas para poupar? Estou sempre disposta a aprender!